Tuesday, September 23, 2014

Um verão em branco e preto é anunciado pelos primeiros desfiles da semana de moda de Paris. Claro que sempre despontam algumas orquídeas vermelhas nas estampas ou alguns listrados conceituais. Mas a base deste primeiro dia é tudo preto ou tudo branco. Deve ser para compor os looks com os acessórios do genial Christian Louboutin.

Corrie Nielsen deu a partida na temporada, com bossa nova na trilha e muitas referências nos anos 1960. Paris tem isto de bom, admite gente muito nova, como esta inglesa que se formou na St  Martin e já entra na agenda oficial da moda parisiense. Seus modelos., têm em comum a interferência de rolotês grossos nas saias e contornando decotes nas costas. Comprimentos pouco acima dos joelhos e cabelos em coques-banana impecáveis indicam a inspiração nos anos 1960 ainda bem madame, antes das minissaias e cabelões lisos. No meio de silhuetas com volumes nas costas, mais para conceituais, destacam-se os paetês cristal nas costas da cintura para cima de vestidos ou nas vestes sobre saias de rolotês. Lembrei de Pierre Cardin no início da carreira, é uma referência importante para os novos. Mas também tem muito dos Jetsons, a família do Futuro que tinha Rose, a robô-doméstica.

E mais: lindos, os brincos de pedras e diamantes da Carat (caratlondon.com) / perfeitos, os coques, sem um fio fora do lugar. Quem quiser fazer igual deve ir ao Windle & Moodie, em Londres / simpático: deram garrafinhas de água de coco para os convidados e para os fotógrafos. generosidade rara! / em tempo: era água de coco..Das Filipinas! / triste: Corrie perdeu a mãe no mês passado, dia 02 de setembro


Christian Louboutin, misterioso...
Esta é para invejar mesmo. Porque vi a coleção, mas não posso mostrar! Assinei um documento me comprometendo a não divulgar nada  antes de um periodo. Mas posso pelo menos contar, sem imagens. A inspiração é o fundo do mar, de onde saiu uma maravilha de cartela de amarelos, verdes, corais, pinks e azuis-violetados. Os saltos finos chegam a 13cm, mas há saltos mais grossinhos (com 12 de altura, uf!), outros em curva, como as ondas do mar. O punk se mantém, os spikes contornam os solados dos modelos baixos. Para as estrelas dos tapetes vermelhos vão enlouquecer com a riqueza dos bordados de cristal das sandálias com tiras em T, os escarpins com camada cortada a laser. Continuam os padrões de onça e as pythons. Pronto, contei!

E mais: muito gentis as meninas do Louboutin, uma para atender em francês (não gravei o nome) e outra, a Laura, em inglês. Descobri que é muito mais orgânico falar de moda em francês do que em inglês. Por orgânico, entenda-se mais fácil / Louboutin é fiel às origens, tem loja e escritório na mesma galeria onde começou a ficar famoso, na rue Jean-Jacques Rousseau / rua em Paris tem sentido peculiar: começa em um ponto, é interrompida por uma transversal e continua muito lá na frente, depois de algumas esquinas e obras / raridade nos tempos atuais: Louboutin, além de super artesanal, faz tudo em COURO! Só um modelo, que lembra um tênis, tem PU na composição


Pascal Millet, muito Florida
Em branco ou em preto, camisas abertas sobre sutiãs-bustiês de couro com saias ou calças, com faixas na cintura. Vestidinhos de praia, longuinhos, de alças, em xadrezinho vichy vermelho, amarelo e azul. A estampa de orquideas tem fundo preto ou azul, Nos pés, sandálias de tiras em X, baixas ou de salto - melhores as baixas. No final, uma série de bustiês e bodies com saias de tule...preto!

E mais: certas locações de desfiles parisienses devem servir como substitutas das academias e treinos. Este lugar, no Palais de Tokyo, tem trocentos degraus, vi muitas louras bufando quando chegaram na sala. Ainda bem que tenho o Luis, o treinador paciente, lá no Rio. Com licença, que vou fazer umas flexões

Devastée, como sempre
Isto quer dizer estampas de tumbas sorridentes, fantasminhas, em preto e branco. Há anos vejo esta coleção aparentemente repetindo temas. Mas mesmo com esta coerência, existe evolução: a Devastée agora tem as tumbas em estampa corrida, e uma digital que, se não me engano era foto de cemitério em preto e branco! Isto demonstra que há uma produção em escala, deixa de ser uma curtição. Depois de muitos looks de vestidos cortados em barras franzidas, camisaria com costas pretas e frente - adivinhem - de tumbas e nuvens, vieram os looks de luto - epa, de preto, ternos pretos com vieses finos brancos e um belo casaco de linho 7/8...preto no final.

E mais: tive que escolher entre dois favoritos meus: Devastée ou Ground Zero. Como o ônibus do evento ia para o Devastée, ele escolheu por mim / o cabelo das tumbinhas era liso, liso, chapinhérrimo, com uma mecha fina e ondulada de lado. Gostei

Anthony Vaccarello, assimétrico
Este levou a onda das fendas ao extremo. As saias descobrem inteiramente uma das pernas. E são microssaias! Ele continua encantando pela camisaria, em preto ou branco, sem abotoar. Boa também a camisetona com um A gigante estampado, torto na frente. Muitos listrados estilo risca de giz em várias versões, em..preto e brancooo!

Jacquemus
Anotem este nome, é uma das sensações atuais de Paris. Cá pra nós, não entendi muito o frisson. Deve ser muito gracinha o Simon Jacquemus, que parece ter vendas online e em magazins. Porque pelo menos esta coleção de verão dava a impressão de ser feita assim: pega-se uma cadeirinha de praia daquelas antigas, listradas e enrola-se o pano no corpo das modelos.
Fora o estilo cadeira, reforçado pelo cenário de barracas de praia brancas, Jacquemus apostou em calças e camisas brancas, amplas, soltinhas, com tênis Adidas.
Bom, vou pensar mais e talvez descubra que adorei o Jacquemus. Sabem como é, povo da moda muda de ideia rapido.

E mais: mesmo que à primeira vista não pareçam o auge da novidade, há sempre boas ideias nas coleções parisienses. Verão não é a estação favorita como exercício de criatividade para eles, mas há apresentações do mesmo jeito / lembrei que há quem pense que o Rio não precisa mostrar coleções de inverno, porque não faz frio / para quem está vindo para Paris: tragam echarpe, casaco de couro ou algo leve e sapatos fechados. ainda não dá para lãs pesadas, mas já tem aquele ventinho gelado

No comments: