Saturday, October 03, 2009

De Dior, Lanvin, Margiela


Lanvin, um momento forte na semana parisiense

Continuamos divididos entre os 40 e os 80. Que décadas férteis em propostas! Basta admirar o que fizeram estes três nomes, através de seus designers atuais, para concluir que há duas vertentes básicas na moda contemporânea: dance e filme noir.
Ou na prática, ombros fortes, cintura marcada, brilho e o toque contemporâneo das cores neutras.
Por desfiles: Galliano fez bonito com uma declinação do desfile Dior de alta costura, onde misturava pedaços de tailleurs com peças de lingerie. Para o verão 2010 sugere tailleurs estilo New Look com sutiãs aparentes - que na verdadem não são sutiãs, são partes de looks de verão -, muitos tipos de trench-coat, gênero Lauren Baccall ou filme Casablanca (depois de Roger Rabitt, um dos filmes americanos mais próximos do tipo noir, que é especialidade francesa). E muitas vestes elegantes a serem modernizadas pela complementação com calças skinny ou jeans.

Alber Elbaz arrasou em Lanvin com o que se pode imaginar de assimetrias, drapeados e figuras glamurosas (sim, eu sei, no dicionário está glamorosa, mas prefiro com U). Em preto, nude, cinza e vermelhos deslumbrantes, um sem fim de vestidos de uma manga-só, com babados armados escondendo o rosto (incrível, as modelos não caem, mesmo sem enxergar o chão), sapatos altos, com saltos tortos, lembrando móveis de novos designers alemães). Há o toque anos 40, e a perfeição de corte da indústria atual do prêt-à-porter. Aplaudido de pé, o estilo Lanvin

Final do show Lanvin


Já Martin Margiela, de quem nunca se sabe se assina ou não a coleção, mas tem discípulos à sua altura, pode-se dizer que é desfile obrigatório pelo avanço de tendências que representa. Quanto aos princípios anos 80, abre espaço para uma nova idéia em matéria de ombrões.

Fez vestidos e tops com alças voadoras, que se destacam do corpo, armadas. Esquisito, mas diferente. A partir dos cartões postais kitsch que eram os convites, mostrou maiôs e camisetas em tecidos descascados, dando a impressão de gessados ou empapelados.

O mais fácil ficou no princípio do desfile, realizado no estádio de Bercy: camisetas com dobras na frente, como se sobrasse malha e se amarrasse para caber.
Outra forma é mais verão, são as tiras de tecido trabalhadas como redes ou um macramê irregular. Efeito bonito nas costas de maiôs e saias longas.


















Anônimos
Na entrada do desfile Lanvin, destaque para Ines de la Fressange, ex-ícone Chanel, sempre impecável e simpática. De sapatilha de pompom

Cara de cardigã Chanel


Linda loura de ombro-a-ombro


Punk fashion


Ui, ela de meia branca, ele de saia preta


ícone chic, Ines de la Fressange


fotos Margiela by Ines Rozario

fotos Lanvin by Iesa

fotos rua by Ines rozario



Intervalo / kkkk! O banheiro novo, recém-reformado do subsolo do Louvre chama-se WC Point. Além de ter um balcão onde se paga para entrar no banheiro, tem venda papel higiênico de todas as cores, ou decorados com notas de dinheiro, flores ou 200 jogos de sudoku. O seu número 1 ou 2 podem ser feitos nas cabines Tendance (por 1 euro) ou nas cabines Spa (por 1,5 euros). Pode? / sábado é o dia oficial das compras, e continua sendo, mesmo com os sinais de crise. Neste dia, estes sinais desaparecem, é uma multidão em torno das Lafayettes da vida.

Mas o sucesso é da Uniqlo, fast fashion japonesa que abriu ao lado da Opera, na esquina da rue Scribe. Tinha fila para entrar, tipo Disney, com meia hora de espera anunciada em plaquinhas na grade de isolamento. Entrei rápidamente, mas não achei que fosse concorrer com a H & M, é mais cara e menos diversificada. Mas foi divertido ficar na fila / para quem gosta de eletrônicos, aviso que a Surcouf está meio caída, com produtos em embalagens velhas, alguns não funcionam. A Fnac está melhor e por incrível que pareça, mais barata.