Saturday, October 31, 2009

Programa de arco-íris (com ou sem chuva)


Hoje e amanhã tem arco-íris no Rio! Estamos em plena semana da Parada Gay, que tem programação intensa. Hoje, por exemplo (sábado, dia 31 de outubro), tem a festa da 14ª parada na 1.140. em Jacarepaguá, com altos Djs, como o Marcão Rezende, Claudinho e Edu Saad, shows com Suzy Brazil e convidadas, mais a drag cantora Renata Perón, vinda de Sampa.

Quanto: com flyer, até meia-noite, R$ 10; sem flyer, a qualquer hora, R$ 15

Onde: Boate 1.140 / rua Capitão Menezes, 1.140 / Praça Seca / (21) 7830-8867 / www.boite1140.com.br

Amanhã, domingo, além da Parada, com concentração a partir das 13h no Posto 6, em Copacabana (lá no finzinho, perto do hotel Sofitel, para quem não conhece a cidade), e 16 trios a postos para animar a turma, tem a festa de encerramento, na boate Le Boy, point mais arco-íris do Rio e um dos melhores em matéria de Djs.

Onde: Le Boy / rua Raul Pompéia, 102, em Copacabana. Tel. (21) 2523-7933 /

Programação e detalhes em www.leboy.com.br

Foto de Antonio Pereira da Silva

Thursday, October 29, 2009

De novo, o Top Fashion Bazar




Depois da temporada no Jockey Clube da Gávea, o Top Fashion se manda para a Barra da Tijuca. É a 26ª edição do maior bazar do país, com descontos até 70% em roupas e acessórios de mais de 80 marcas. Pode ser uma boa para as primeiras comprinhas de Natal.

A Dupla e a Escala produzem o tendão lotado de tentações.

Estreando no bazar estão as grifes Bitang (do mesmo grupo de Richad`s e Salinas), que tem loja em Búzios, Iódice, Lacoste e ZeroZen. Mais importantes marcas do verão carioca, como Blue Man, Lenny e Salinas. Será também a estréia da Fábula, marca infantil da Farm, no Bazar da Barra.

Esta é a lista completa:

About Girls, AD, Addict, Afghan, Agressive, Andarella, Armadillo, Aspargus, Bicho Comeu, Bintang, Blue Man, Borelli, BumBum, Cantão, Cavalera, Cavendish, Checklist, Chicletaria, Chow, Colcci, Complemento, Constantinopla, Dona Florinda, Dress To, Epifhania, Equtore, Espaço Fashion, Everlast, Fábula, Farm, Favela Hype, Filip Shoes, Folic, Fórum, Fuori, In+Up, Iódice, Ixia, Jane Gêlamo, Joana João, Jonny Size, Juliana Faro, Karamelo, Lacoste, LeeLoo, Lenny, Levi`s, Limits, Lix, Luis Revert, Lunetterie, Magia das Meninas, Magu Design, Maiorca, Mania de Bijoux, Manufact, Mary Zaide, Mizuno, O’one, Office, Oh Boy!, Osklen, Polo Usa, Public House, Puma Size, Q-Vizu, Rafael Zanon, Ralph Lauren, Redley, Richard`s, Salinas, Sandpiper, Sport Mix, Sunnies, Timberland, Tommy Hilfiger, Triton, Via Mia, VR, Wollner, W-Ton, X-Site e ZeroZen.

 O que comprar: bermudas de alfaiataria, bijuterias de pérolas, macacões e macaquinhos, vestidos estampados curtinhos, jeans skinny ou boyfriend claros ou escuros, sandálias rasteiras, anabelas e sapatilhas. Cores? Preto, rosa, amarelo-limão ou cítrico, vermelho-coral, azul-Bic. E verdes, para quem gosta. Oversize, para as magras

Para os homens, bermudões cargo, camisetas com estampas localizadas, polos, calças cargo e jeans claros

 

Top Fashion Bazar

Onde: Extra 24 horas da Barra (Av. Das Américas, 1.510)

Quando: até dia 29 de novembro de 2009. das 16 às 22h

Quanto: entrada grátis!

Novidades no twitter.com/topfashionbazar

www.bazartopfashion.com.br

estacionamento: R$ 5

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sunday, October 25, 2009

Muito rock, pouco fashion

Acabou o Oi Fashion Rocks. Até que os shows foram bons - destaque para P. Diddy cantando I'll be missing you; Daniela Mercury surpreendendo pelo repertório com Carmen Miranda, Iansã, etc; Grace Jones tremendo o bumbum (e que corpo!). Menos pontos para a Estelle, a Ciara atlética e a Stop Play Moon, banda que tem a ótima Geanine Marques, que só cantou em ingles, e guitarras incríveis, mas acabou sendo meio chato. O Afro Lata nem estava anunciado, mas deu show, como sempre.
Quanto à moda, o que dizer? A não ser quem estava nos lugares vips - sempre acho constrangedor chamar de currais -, dava para ver muito pouco do que foi desfilado. Quem pagou R$ 800, crente que ia enxergar, nem que fosse nos telões, as belezas da coleção do Lino Vilaventura, as geometrias do André Lima, os belos casacos de Calvin Klein, ficou na crença. Primeiro, porque estava longe do palco. Segundo, porque apenas o show era mostrado nos telões. Nunca se via uma modelo de corpo inteiro.
Ok, a arena estava bonita. O Jockey é um lugar lindo. Os shows e a moda formaram um patchwork festivo. Vamos ver se no ano que vem, já que a apresentadora Fernanda Lima anunciou que haverá outro Oi Fashion Rocks no Brasil, melhora o conceito de exibir a moda no espetáculo. Porque pelo pouco que se viu, ou pelo que já se conhecia das coleções, elas mereciam mais consideração.

Intervalo / quem mais trabalhou nesta noite foi Gianne Albertoni. De microvestido preto bordado, sandália alta de tiras fininhas, Gianne gravou em todos os intervalos da programação / Maior sorte, o tempo bom. Com direito a Lua / funcionou bem o esquema de estacionamento (R$ 20) com vans para levar até perto da tenda principal / Lino até sambou na hora de receber os aplausos. Daniela Mercury usou um de seus vestidos pretos, com repuxados na saia. "Ela é minha amiga e cliente", explicou o Lino / muito bons os bailarinos da Mariah Carey / a coleção Givenchy foi desfilada em março, em Paris. Ricardo Tisci, o estilista, veio para o evento. Já Marc Jacobs fez forfait (um termo adequado ao local, o Jockey Clube) / Donatella Versace e Grace Jones não deram sorte com as estratégias de rejuvenescimento. Mas a Grace pelo menos tem corpo e pernas impecáveis. Fiquei apreensiva quando vi que ela descia meio hesitante a escada onde começou a cantar. Mas depois, até corridinhas pelo palco ela se atreveu, e de salto alto! / Tanto P. Diddy quanto Ja Rule vestiam jaquetas-blusões tipo Perfecto /

Friday, October 23, 2009



Donatella Versace (na foto, no final do desfile de setembro, em Milão) vem para o Rio


A primeira edição do Fashion Rocks acontece neste sábado, com o patrocinio da Oi, no terreno de 10 mil metros quadrados do Jockey Clube da Gávea, no Rio de Janeiro. Como evento, já acontece no mundo – Mônaco, Londres, Nova York receberam o show-desfile. Como conceito, espelha exatamente o fenômeno das celebridades, que fascina o público. Reúne estrelas de vários escalões – desde antigas, como Grace Jones (anos 80) até pop, como Mariah Carey e gente da moda, como Marc Jacobs, Donatella Versace, Francisco Costa pela Calvin Klein e os brasileiros Lenny, André Lima, Lino Villaventura e Alexandre Herchcovitch.

Maria Carey em momento transparência

Como espelho, o Fashion Rocks aproxima a platéia, que pagou no mínimo R$ 580 para entrar no suntuoso espaço, de seus mitos. Ninguém se interessa pelas roupas a serem desfiladas – importante é ver de perto o Jacobs, criador da própria marca e da luxuosa Louis Vuitton. Nem por qual coleção será exibida pelo Herchcovitch, querem mais é saber como ele vai aparecer, quem vai chamar para desfilar. Até o diretor de moda é celebridade, já que Paulo Borges, diretor da São Paulo Fashion Week e do Fashion Rio, se encarrega de coordenar as passarelas.


Planta do Fashion Rocks

Para a Oi, é mais um passo na estratégia de marketing, que foca em música e moda. Quem estiver fora do Rio ou não está entre os cinco mil roqueiros / modeiros da platéia, porque não foi convidado ou não conseguiu comprar ingresso, pode acompanhar a noitada pelo site Oi Fashion Rocks, pela Oi TV Móvel ou pegar flashes na rádio Oi FM.

Começo – o Fashion Rocks começou em Londres, em 2003. Já participaram desfiles de Calvin Klein (que vem para o Rio, com modelos do mineiro Francisco Costa), Giorgio Armani, cantores e bandas de Jamiroquai, Elton John,Bryan Adams, Beyoncé. Parte da renda se destina a projetos sociais.


Mario Testino, em Paris, depois do desfile Givenchy

E mais – haverá leilões de peças das coleções, instrumentos, jóias e fotos dos participantes e dos desfiles, coquetéis, jantares. Mario Testino, o fotógrafo peruano baseado em Londres, maior estrela / celebridade do mundo da moda, lança o livro Mario Rio de Janeiro Testino no Copacabana Palace.

Na última hora, Lulu Santos desistiu por motivos de saúde, do show que acompanharia a moda de Herchcovitch. O DJ Pharrel também não vem, e será substituído por P. Diddy, um dos líderes do hip hop, dono de vozeirão e figura expressiva também no mundo das grifes, já que assina marca própria. No Brasil, chegam suas coleções de óculos, de muito bom design. Nos shows, deve se destacar o rapper JaRule. Mesmo que as palavras sejam difíceis de acompanhar, pelo inglês rápido e cortado do rap, a performance do astro garante a diversão. Já Daniela Mercury vai combinar o agito da dança e o bom entendimento das suas músicas.

Sobre rodas
Uma das sensações da noite será a chegada das celebridades. À frente da tenda principal haverá o tapete vermelho de praxe. Mas os carros que trazem os participantes prometem despertar tanta admiração quanto seus passageiros. A BMW Brasil montou uma ação especial no evento. Começa na sexta (hoje) no Copacabana Palace, pelo leilão de uma viagem para Munique, com direito a visitar a fábrica da BMZ, em prol da instituição Rio Solidário. No dia 24, sábado, dois Mini estarão expostos em lounges. O Mini Cooper Cabrio servirá de estúdio para o Mini TV, programa do blog www.miniposts.com.br. Um quarteto de jazz estará ao lado de novidades como o BMW Z4, o 320i e a moto BMW F 800 R.
Dos 12 carros que transportarão os artistas e personalidades, Maria Carey chegará em um BMW série 7. Donatella Versace virá de BMW X6.

Informações de ultimíssima hora em www.oifashionrocks.com.br


Intervalo / deve ser um espetáculo, o Fashion Rocks. Espetáculo, nem de moda, nem de música, já que não há coleções com intenções comerciais nem possibilidade de coerência musical em um show com trocentas atrações em uma só noite. Pronto: é um espetáculo com celebridades. Quem estiver na platéia também se sentirá importante e vip / tomara que não chova. Como o espaço é fechado, não faz diferença para o show. Mas fica difícil circular, chegar ao local, etc / A produção sabe lidar com intempéries. Basta lembrar que o Fashion Rocks começou em Londres, cidade de clima imprevisível / Em matéria de mix de teatro e moda, o melhor que já vi foi assinado por Gerald Thomas, durante uma ópera no Teatro Municipal do Rio.

Saturday, October 17, 2009

Agenda

Bebê mais lindo

O Botafogo Praia Shopping promove a 10ª edição do Concurso Bebê do Fraldário. Mandem fotos dos lindinhos até dia 20 (corram!), e aguardem os votos de 22 a 31 de outubro. Tem prêmios para os 10 bebês mais votados. Confiram no site do Botafogo Praia Shopping (que aqui no Rio é conhecido como o Escada Shopping, porque tem uma série de escadas rolantes em seguida). Para quem vem de fora da cidade, recomendo nem que seja um lanchinho lá, porque a vista é deslumbrante para a enseada de Botafogo, bondinho do Pão-de-açúcar e Cristo Redentor parecendo pertinho


Outubro

23 e 24: Max Weber ensina maquilagem de desfiles e editoriais na Escola São Paulo. No dia 23, a partir das 19h, no dia 24, das 10 às 17h, verdadeiro intensivão.
Inscrições em (11) 3060-3636 ou em

24: Fashion Rocks Brasil, misto de moda e música, uma receita que terá como ingredientes coleções de Versace, Marc Jacobs, Lenny Niemeyer, Alexandre Herchcovitch e shows de Mariah Carey, Daniela Mercury, Pharrel Williams, Grace Jones e outros do gênero pop. Ingressos a partir de R$ 580, a maioria já esgotada.
Fashion Rocks Brasil / dia 24 de outubro, no Jockey Clube da Gávea / Rio de Janeiro

30 a 2 de novembro: Brasilia Fashion Festival – o evento realizado por Paula Santana, reunindo moda, música e novos talentos

Novembro
4 a 7: 5ª edição do Minas Trend Preview, com 18 desfiles individuais e salão de negócios com 163 participantes. O tema do evento é Oficina, em homenagem à identidade artesanal de Minas Gerais.
Promoção da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), o MTP tem curadoria de Ronaldo Fraga e produção da Dupla Assessoria.
Quem desfila: Alessa, Alphorria, Apartamento 03, Chouchou, Cila, Faven, Fruto do Mar, Patachou, Patrícia Motta, Squadro, Última Hora, Victor Dzenk e Vivaz. Calçados e bolsas: Celso Afonso, Cláudia Mourão e Paula Bahia. Joias e bijuterias: Camaleoa, Mary Design.
Minas Trend Preview / de 4 a 7 de novembro / Lagoa dos Ingleses, em Belo Horizonte

15 a 20: 3ª edição da Amazonia Fashion Week e 10º edição do EPAMA (Encontro Paraense de Moda e Artesanato), em Belém, Com desfiles, workshops e mesas-redondas, em lugares como o Hangar Centro de Convenções, Estação Gasômetro, Hotel Crowne Plaza e praça Ver-o-Rio. E a beleza de cidade que é Belém do Pará.
Amazônia Fashion Week / de 15 a 20 de novembro / Belém do Pará

2.010
Janeiro
9 a 11: Fashion Business, em nova versão, patrocinado pela Fecomércio Rio de Janeiro.
Onde: Marina da Glória (Rio de Janeiro)

16 a 19: 13ª edição da Mostra/Acessórios. Design, moda, acessórios, objetos de decoração e papelaria
Onde: Centro Fecomércio de Eventos (São Paulo)

Friday, October 16, 2009

Moda e ONGs



Este mix de rendas de bilro, silicone e crochês tem a assinatura do Lindebergue Fernandes, estilista cearense que participa do projeto Fashion Frequência 2.0, no Oi Futuro (Rio de Janeiro). São 10 criadores, com 10 cooperativas, com direito a desfile na segunda-feira, dia 19 e expo de fotos de moda e arte.


Quem participa com quem

A Addict trabalhou com os retalhes de tear da Coopama

A 2K2, de Claudia Koepke e Lucinha Karabtchevisky inventou figurinos com material da Nosso Papel

Daniela Martins usou tie dye e batik da Ação Comunitária

A Q-guai trabalhou com as Bordadeiras da Coroa

Sans Clichê foi no Instituto da Criança para ter tingimentos diferentes, grafitados

Bruno Muniz, do Pará, trabalhou com material da Arte Pam

A D’Arouche, de São Paulo, usou os botões de madeira da Cooperativa Butantã

O Fabio Bartz, do Paraná, apelou para as sedas da Casulo Feliz

O Lindebergue Fernandes, do Ceará, autor do croqui, aplicou rendas de bilro da Arte e Costura

E a Uódafoca, de Brasília, enfeitou suas peças com capim dourado e sementes de baru da Central do Cerrado


O elenco do desfile é um casting de new faces de comunidades carentes.

Além do desfile e da exposição de fotos há palestras rondando o tema do projeto.

Na terça-feira, dia 20, a estilista Mary Katrantzou, que mostra coleções na semana de moda de Londres fala da moda como linguagem

Na quarta, dia 21, é a vez do fotógrafo belga Pierre Debusschere

Na quinta, dia 22, Anthony Waller, profissional de marketing, aborda a moda sustentável.


As palestras estão marcadas no horário das 15 às 17h, são certificadas. As inscrições devem ser feitas pelo telefone (21) 2569-6310




Fashion Frequencia 2.0

Oi Futuro: Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo (Rio de Janeiro)

De 20 a 25 de outubro

Tuesday, October 13, 2009






A Le Lis não pára de festejar. Um dia, porque abre uma loja nova, outro dia, lança a coleção infantil. Desta vez, a comemoração é séria: aniversário de 21 anos da Le Lis Blanc! Traudi Guida, líder da marca, decidiu marcar a data com o lançamento da água de colônia 21, uma nova delícia para o nosso dia-a-dia.
Se é boa? Imaginem: se o perfume ambiente é maravilhoso, aquele que vem com vidrinho e palitinhos, com cheirinho de alecrim, a água de colônia tem o estilo da Traudi: delicada e forte ao mesmo tempo.


No dia 18, domingo, temos novidades para quem espera soluções de eterna juventude. A ADCOS Cosméticva de Tratamento apresenta a linha Cell Complex, a primeira que age diretamente nas células-tronco da pele. O evento se direciona para profissionais de estética e fisioterapia. Entre os palestrantes estão a Dra. Ada Alcinéa Mota, dra. Maria Paulina Kede, Dra. Áurea Scardua Cavalcanti, dra. Andrea Serra e a cosmetóloga Vânia Lima.
O que: 4º Simpório Científico de Beleza
Quando: dia 18 de outubro, domingo, das 8 às 17h30
Onde: Hotel Pestana Internacional (Av. Atlântica, 2964 / Copacabana – Rio de Janeiro)
Contato: (21) 3544-5454


O Rio Design Barra se firmou como o shopping de primeira linha no Rio. Entre as muitas e belas vitrines, destaque para Heckel Verri, toda em preto e branco. Outra de conceito bacana, da Richards, com adereço feito de crochê de sacos plásticos, de resultado surpreendente. Na hora da fome, é o shopping com a melhor seleção de restaurantes. Ok, o Rio Sul tem uma graça de filial do Garcia & Rodrigues, o BarraShopping tem o Antiquarius, que é lindo, e o Fashion Mall, as inigualáveis batatas fritas da Clube Chocolate. Mas o conjunto do Rio Design vence. Hoje, a minha recomendação é a Key Lime Pie (R$ 10,90), no café bistrô In House, no RDB.

E a mania agora do Guitar Hero? Todo mundo pode virar guitarrista de banda, seguindo as instruções do jogo. Só que sempre me lembro de uma histórinha do Xaveco, personagem secundário (que adoro) das revistas do Maurício de Souza, em que o menino ganha um jogo completo do Guitarrero! Impossíve falar com a pronúncia certa, é irresistível falar como o Xaveco, Cebolinha (para este, é Guitalelo) e a Magali.

Já está em andamento o seminário de verão 2010/2011 do Senac Rio. Vai ter muita cara de Brasil, sem perder o link com o mundo internacional da moda.


A maior fofice da semana de moda de Paris foi a pen-drive distribuída pelo Jean- Charles de Castelbajac. Nas cores da marca, verde, amarelo, vermelho, mais as listrinhas, e com estes olhões arregalados fez a felicidade dos colecionadores de pen-drives.

Friday, October 09, 2009

Agenda 09/10/09

lign: justify; font-family: arial;">Acabam as semanas de moda do hemisfério norte, continuam os eventos brasileiros.


Outubro

24: Fashion Rocks Brasil, misto de moda e música, uma receita que terá como ingredientes coleções de Versace, Marc Jacobs, Lenny Niemeyer, Alexandre Herchcovitch e shows de Mariah Carey, Daniela Mercury, Pharrel Williams, Grace Jones e outros do gênero pop. Ingressos a partir de R$ 580.

Fashion Rocks Brasil / dia 24 de outubro, no Jockey Clube da Gávea / Rio de Janeiro


30 a 2 de novembro: Brasilia Fashion Festival – o evento realizado por Paula Santana, reunindo moda, música e novos talentos


Novembro


4 a 7: 5ª edição do Minas Trend Preview, com 18 desfiles individuais e salão de negócios com 163 participantes. O tema do evento é Oficina, em homenagem à identidade artesanal de Minas Gerais.

Promoção da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), o MTP tem curadoria de Ronaldo Fraga e produção da Dupla Assessoria.

Quem desfila: Alessa, Alphorria, Apartamento 03, Chouchou, Cila, Faven, Fruto do Mar, Patachou, Patrícia Motta, Squadro, Última Hora, Victor Dzenk e Vivaz. Calçados e bolsas: Celso Afonso, Cláudia Mourão e Paula Bahia. Joias e bijuterias: Camaleoa, Mary Design.

Minas Trend Preview / de 4 a 7 de novembro / Lagoa dos Ingleses, em Belo Horizonte


15 a 20: 3ª edição da Amazonia Fashion Week e 10º edição do EPAMA (Encontro Paraense de Moda e Artesanato), em Belém, Com desfiles, workshops e mesas-redondas, em lugares como o Hangar Centro de Convenções, Estação Gasômetro, Hotel Crowne Plaza e praça Ver-o-Rio. E a beleza de cidade que é Belém do Pará.

Amazônia Fashion Week / de 15 a 20 de novembro / Belém do Pará

Wednesday, October 07, 2009

Marithê e François Girbaud


Moda para um mundo doido


Ainda não comentei a apresentação desta dupla, que foi uma das primeiras a falar em design de moda, e a se preocupar com peças utilitárias. Tipo, roupa para andar de bicicleta, ou feita em tecido menos poluente, ou como visão futurista de estilo. Isto tem uns 20 e tantos anos, em plenos anos 80. Agora, é uma marca mais, digamos, objetiva como negócio, aposta em venda mesmo. O que não impede que tenham uma corte de seguidores. A platéia se veste com calças esquisitas, casacos bizarros, ainda dentro do espírito design original da dupla.

Mas eles são bons, apesar de um certo espírito hippie persistir. Desta vez, foram de uma generosidade rara na moda, abriram espaço para a apresentação de outra dupla de estilistas, Lefranc-Ferrant, que mostraram suas idéias antes da coleção dos Girbaud. E foi muito bom, uma surpresa - eu, pelo menos não conhecia a marca. São vestidos femininos, glamurosos, com decotes bonitos e comprimentos sóbrios. Uma das boas propostas da semana.
Quanto aos Girbaud, também fizeram bonito, com um conceito divertido bem desenvolvido. São roupas para um mundo que está ficando doido, segundo eles. O que significou calças com recortes e truques de modelagens, camisas que quase viram vestidos e outras, com amarrados nas costas - isto mesmo, inspiradas nas camisas-de-força! Foi um bom fim de tarde, ainda que no distante galpão do outro lado do rio, em frente a Bercy. É o tal Halle Freyssinet, que recebeu vários desfiles importantes nesta semana.

Intervalo / o bom deste lugar fora-de-mão é chegar cedo e comprar comida para os gatos na Truffaut, loja de plantas e bichos na esquina / o vexame é entrar no desfile com uma sacolinha de compras. Não estou nem aí, meus gatos adoram os quitutes de lá / por que botam fumaça de gelo seco nos desfiles? As fotos ficam nubladas, quase impublicáveis



Na rua (ou melhor, no Halle Freyssinet)




Agenda
Acabam as semanas de moda do hemisfério norte, continuam os eventos brasileiros.
No final de outubro acontece o Fashion Rocks, misto de moda e música, uma receita que terá como ingredientes coleções de Versace, Marc Jacobs, Lenny Niemeyer, Alexandre Herchcovitch e shows de Mariah Carey, Daniela Mercury, Pharrel Williams, Grace Jones e outros do gênero pop. Até onde sei, os ingressos eram caros, a partir de R$ 580.
Fashion Rocks Brasil / dia 24 de outubro, no Jockey Clube da Gávea / Rio de Janeiro

Novembro
4 a 7: 5ª edição do Minas Trend Preview, com 18 desfiles individuais e salão de negócios com 163 participantes. O tema do evento é Oficina, em homenagem à identidade artesanal de Minas Gerais.
Promoção da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), o MTP tem curadoria de Ronaldo Fraga e produção da Dupla Assessoria.
Quem desfila: Alessa, Alphorria, Apartamento 03, Chouchou, Cila, Faven, Fruto do Mar, Patachou, Patrícia Motta, Squadro, Última Hora, Victor Dzenk e Vivaz. Calçados e bolsas: Celso Afonso, Cláudia Mourão e Paula Bahia. Joias e bijuterias: Camaleoa, Mary Design.
Minas Trend Preview / de 4 a 7 de novembro / Lagoa dos Ingleses, em Belo Horizonte

15 a 20: 3ª edição da Amazonia Fashion Week e 10º edição do EPAMA (Encontro Paraense de Moda e Artesanato), em Belém, Com desfiles, workshops e mesas-redondas, em lugares como o Hangar Centro de Convenções, Estação Gasômetro, Hotel Crowne Plaza e praça Ver-o-Rio. E a beleza de cidade que é Belém do Pará.
Amazônia Fashion Week / de 15 a 20 de novembro / Belém do Pará

Louis Vuitton marca um novo ciclo

Quando um desfile acaba, e dá vontade de sair correndo para postar no blog, só significa uma coisa: foi bom! Saí direto da tenda na Cour Carré do Louvre para o hotel. Tinha que escrever logo sobre o desfile Vuitton.
Se a intenção geral da semana era propor roupas jovens, não há dúvida que Marc Jacobs foi o vencedor da temporada. Karl Lagerfeld chegou perto, com suas jovens camponesas na Chanel, mas a Vuitton veio muito forte.
Algumas razões que provocam entusiasmo:
Extremo estilo aproveitando referências dos anos 1970: tamancos suecos, perucas Angela Davies, tipo black power, jeans com entalhes de outros tecidoss e rabichos de pele pendurados nas bolsas ou tufinhos nos sapatos e sandálias. Nada cheira a naftalina ou sobra de guarda-roupas de consumidoras sessentonas

Interferência de lingerie na modelagem. Quem fez primeiro foi o Jean-Paul Gaultier, que ficou famoso pelo figurino da turnê Blond Ambition, da Madonna. No Brasil, quem tem um trabalho na mesma base (não é cópia) é o Walter Rodrigues, que desenvolve coleções com o povo de Nova Friburgo, com base nos corselets e sutiãs. John Galliano usou peças de modelagem antiga, calções e sutiãs de bojo, na complementação da alta-costura. E a Vuitton me sai com sutiãs Nude segurando alças e faixas retorcidas dos vestidinhos curtos, lindos

O streetwear na tradução militar das saias e coletes com bolsões retangulares. São tão grandes, em tons cáquis ou olivas, que dá para pensar se alguém precisaria comprar uma bolsa LV, se sai com uma roupa-bolsa destas

Os tamanquinhos, tirados dos sabots suecos, fechados, com rebites no solado. Em Chanel, são altos; na Vuitton, têm saltos sabrina ou em forma de uma bolinha prata, e viram mocassins, sandálias com tiras elásticas

Muito jeans entremeado em várias peças, misturado com outras texturas. Com prata, brocados, listrados, etc. Nada previsível, nenhuma calça skinny ou jaqueta comum. É uma aula de atualização do conceito jeans.

Pronto: missão cumprida. Há quem tenha saído do desfile sem entender a história, achando que não vai vender nada. Pode ser que não venda para a clientela Vuitton, que nem sempre é jovem e urbana. Mas como idéia, vai ser um novo ciclo de estilo para a moda global. É a mistura certa de técnicas de alta-costura, como a moulage e o torsade, com a sensualidade da lingerie e a necessidade urbana de uma roupa fácil de usar. Mesmo que não se tenha dinheiro para completar com as super-bolsas de monograma LV.

Tuesday, October 06, 2009

Cabana de Chanel



Dia chuvoso, calçadas escorregadias, não podia ser diferente: hoje foi a manhã do desfile Chanel, no Grand Palais. É sempre uma sensação, que começa quando se recebe o e-mail da representação na central do Panamá, um mês antes. Depois, fica mais quente, quando chega o convite propriamente dito. No dia, despertador toca às oito, mesmo que o desfile seja às 10h30 – tem que chegar cedo, para garantir seu lugarzinho.
Desta vez a entrada foi mais calma, sem exigência de identidade nem vistoria de bolsas. As convidadas recebiam uma sacolinha com esmaltes e gloss de brinde. E para entrar no salão subia-se uma escada e tchan! O cenário de uma cabana de madeira, enfeitada com flores, com um monte de feno embaixo.
Até começar o show, rolou o habitual bafafá dos lugares que são ocupados por quem nem tem convite. O (a) dono (a) também, chega às 11 horas, e quer porque quer espremer todo mundo nos exíguos bancos onde cada convidado tem direito a um espacinho de meia-bunda.
Começou, e foi uma série de vestidos camponeses, blusas de tricô com pontos de nós grossos, casacos de tailleur, formas arredondadas, estampas de flores em azuis e rosas. Blusas em cor de lingerie, quase camisolas, tamancos fechados, de saltão de madeira. Cestas com dezenas de berloques pendurados.

No meio do desfile, sobe um palco e vem Lilly Allen e sua banda, ao vivo. Coisa boa, ela é gordinha, e estava linda de vestido preto e prata, saltão. Cantou só uma música e foi embora, que moda não combina com manifestações artísticas diferentes, dispersam a atenção. Mais uma vez a moda masculina foi reforçada, está cada vez melhor, com jeans black. No final, ele veio de off-white, como um noivo e se jogou no feno com uma suposta noiva e mais uma menina.

Quando acaba a coleção, ninguém sai da sala. Vão todos para a cabana, que reproduzia uma similar em Versalhes, dos tempos de Maria Antonieta. Fica o maior agito, deve rolar champanhe, beijos e abraços.
A saída é uma gincana à parte: imaginem mais de mil convidados saindo por um corredor estreito, na chuva. Todos querem parar para abrir o guarda-chuva, é um engarrafamento. Prefiro esperar, e apreciar o número de bolsas matelassês autênticas Chanel nos ombros das convidadas. Ver a Grace Coddington, da Vogue America, a Natalia Vodianova e seus diversos seguranças, o Prince e outro séquito de seguranças. Tudo faz parte do encanto deste desfile, o mais parisiense de todos, o mais internacional da semana.

Intervalo / momento mesquinho: negam a sacolinha de brinde para quem não tem convite com nome escrito. Nem fotógrafos nem pessoal de equipe de TV ganham. E se pedirem, ouvem que não têm direito / impressionante, a quantidade de mãos que levantam câmeras digitais e celulares na platéia


Tara Jarmon, pronta para vestir
Depois de Chanel, direto para o show-room da Tara Jarmon, que abriu loja de 400 m2 na rue Saint Honoré, 400. Já virou tradição, esta passada para ver o que anda fazendo a equipe desta boa rede francesa. Valeu muito, porque os tecidos são requintados, tem seda, linho e bordados com paetês, as calças seguem o padrão anos 80, soltas e pregueadas nos quadris, estreitas na barra. O colorido varia desde os pretos, cinzas e rosa-blush para a noite até os vermelhos e amarelos para dia e alto-verão. Uma graça e um catering primoroso, tudo a ver no colorido da roupa. Bolinhos e musses de aparência maravilhosa. Não provei, porque tinha acabado de almoçar – tem que aproveitar quando dá tempo!

Monday, October 05, 2009

Segunda-feira de chuva, assim Paris parece mais Paris. Mas o céu azul de ontem ajudou a dar mais vontade de usar as cores e estampas de verão do Dries van Noten. Para dar mais clima, a sala em um predio comercial na Place Vendôme era um verdadeiro forno. Ainda bem que termostato de convidado funciona assim: vai dando desespero de calor, tira-se o cachecol, o casaco, a suéter e quando se está prestes a desmaiar, começa o desfile. Aí, ninguém mais sente frio, calor ou cansaço.
Pois valeu ter esperado em pé pelo Dries (quando o lugar não é fila A, quem tem menos de 1m70 vê melhor se ficar em pé. Sentada atrás dos gigantes europeus, não dá certo.
Foi uma coleção que voltou às estampas, com ikats, padrões orientais dourados, em modelos com repuxados e apanhados de tecidos em formas assimétricas. Há calças de barra estreita e quadris soltos, um pouco curtas - acima dos tornozelos.
Barbara Bui também fez bonito. Bonito não, lindo. Para mim, pegou o lugar de Balmain nesta temporada, graças ao jeito roqueiro dos vestidos com paetês e fios pendurados, aos casacos com recortes tipo richelieu, técnica que também rendou as calças jeans. Muito bom, o show, que acabou com o Walk on the wild side. Bem rebelde, bem rock.
Outro destaque, Givenchy. Foi no liceu Carnot, onde o van Noten desfilou em março. Um colégio que teve muitos alunos judeus mortos em campos de concentração na 2ª guerra. Na quadra de jogos passaram os vestidos curtos, montados em camadas de plissados e drapeados, os mais bonitos em estampa quase optical, lembrando desenhos bizantinos, art-decô, estas referências que na hora vêm à lembrança de quem assiste nos torturantes banquinhos das salas de desfile parisienses.
Em matéria de banco, um dos mais cruéis foi em uma sala do maravilhoso museu Orangerie. Reformado recentemente, virou um espaço de cimento e luz natural, super minimalista. Lá foi o desfile da Commuun, nunca tinha visto, apesar de ser a segunda vez que se apresentaram em Paris. É uma dupla japonesa, Kaito Hori e Iku Furukate, que até foi bem razoável. Ainda não atraem a platéia de primeira linha, só tinha orientais nos convidados. Mas foram bem nos vestidos brancos, secos, nas calças estreitas, nos drapeados decotadões, alguns com panejamentos franzidos, em azul ou amarelo, em um tecido leve como gazar. Mas o banco...massacrou as costas da galera.

Intervalo / agora, além da agenda enorme de desfiles, há dezenas de show-rooms que valem a pena ver. E salões por toda parte. Ainda faltam Chanel e Vuitton, puf, puf / e a nova H & M na Haussmann? E a exposição Madeleine Vionnet, no Louvre / Arts Decoratifs? E a loja de bichos e plantas perto do galpão Freyssinet, onde acontecem grandes desfiles? E o Chic Outlet, em Marne la Vallée, com preços de saldíssimos? DEste jeito, ninguém tem tempo nem de dormir

Saturday, October 03, 2009

De Dior, Lanvin, Margiela


Lanvin, um momento forte na semana parisiense

Continuamos divididos entre os 40 e os 80. Que décadas férteis em propostas! Basta admirar o que fizeram estes três nomes, através de seus designers atuais, para concluir que há duas vertentes básicas na moda contemporânea: dance e filme noir.
Ou na prática, ombros fortes, cintura marcada, brilho e o toque contemporâneo das cores neutras.
Por desfiles: Galliano fez bonito com uma declinação do desfile Dior de alta costura, onde misturava pedaços de tailleurs com peças de lingerie. Para o verão 2010 sugere tailleurs estilo New Look com sutiãs aparentes - que na verdadem não são sutiãs, são partes de looks de verão -, muitos tipos de trench-coat, gênero Lauren Baccall ou filme Casablanca (depois de Roger Rabitt, um dos filmes americanos mais próximos do tipo noir, que é especialidade francesa). E muitas vestes elegantes a serem modernizadas pela complementação com calças skinny ou jeans.

Alber Elbaz arrasou em Lanvin com o que se pode imaginar de assimetrias, drapeados e figuras glamurosas (sim, eu sei, no dicionário está glamorosa, mas prefiro com U). Em preto, nude, cinza e vermelhos deslumbrantes, um sem fim de vestidos de uma manga-só, com babados armados escondendo o rosto (incrível, as modelos não caem, mesmo sem enxergar o chão), sapatos altos, com saltos tortos, lembrando móveis de novos designers alemães). Há o toque anos 40, e a perfeição de corte da indústria atual do prêt-à-porter. Aplaudido de pé, o estilo Lanvin

Final do show Lanvin


Já Martin Margiela, de quem nunca se sabe se assina ou não a coleção, mas tem discípulos à sua altura, pode-se dizer que é desfile obrigatório pelo avanço de tendências que representa. Quanto aos princípios anos 80, abre espaço para uma nova idéia em matéria de ombrões.

Fez vestidos e tops com alças voadoras, que se destacam do corpo, armadas. Esquisito, mas diferente. A partir dos cartões postais kitsch que eram os convites, mostrou maiôs e camisetas em tecidos descascados, dando a impressão de gessados ou empapelados.

O mais fácil ficou no princípio do desfile, realizado no estádio de Bercy: camisetas com dobras na frente, como se sobrasse malha e se amarrasse para caber.
Outra forma é mais verão, são as tiras de tecido trabalhadas como redes ou um macramê irregular. Efeito bonito nas costas de maiôs e saias longas.


















Anônimos
Na entrada do desfile Lanvin, destaque para Ines de la Fressange, ex-ícone Chanel, sempre impecável e simpática. De sapatilha de pompom

Cara de cardigã Chanel


Linda loura de ombro-a-ombro


Punk fashion


Ui, ela de meia branca, ele de saia preta


ícone chic, Ines de la Fressange


fotos Margiela by Ines Rozario

fotos Lanvin by Iesa

fotos rua by Ines rozario



Intervalo / kkkk! O banheiro novo, recém-reformado do subsolo do Louvre chama-se WC Point. Além de ter um balcão onde se paga para entrar no banheiro, tem venda papel higiênico de todas as cores, ou decorados com notas de dinheiro, flores ou 200 jogos de sudoku. O seu número 1 ou 2 podem ser feitos nas cabines Tendance (por 1 euro) ou nas cabines Spa (por 1,5 euros). Pode? / sábado é o dia oficial das compras, e continua sendo, mesmo com os sinais de crise. Neste dia, estes sinais desaparecem, é uma multidão em torno das Lafayettes da vida.

Mas o sucesso é da Uniqlo, fast fashion japonesa que abriu ao lado da Opera, na esquina da rue Scribe. Tinha fila para entrar, tipo Disney, com meia hora de espera anunciada em plaquinhas na grade de isolamento. Entrei rápidamente, mas não achei que fosse concorrer com a H & M, é mais cara e menos diversificada. Mas foi divertido ficar na fila / para quem gosta de eletrônicos, aviso que a Surcouf está meio caída, com produtos em embalagens velhas, alguns não funcionam. A Fnac está melhor e por incrível que pareça, mais barata.

Thursday, October 01, 2009


O filme Duna virou moda com estampas vertebrais




Lie Sang Bon, arquitetura vertebral

O coreano conceitual está mais acessível. Mesmo inspirado pelas mulheres descendentes dos Atreides, do planeta Dune, apresentou em meio a complicações de pregas presas de alto a baixo, que parecem colunas vertebrais, algumas opções que podem ir para as ruas. Como o tailleur com basque e golão (basta baixar a bola do golão), o vestido com um nó que sai das mangas, a saia com franzido central e os estampados desfocados em marrons e pretos.
Mas é sempre bom ver a pesquisa de formas do Sang Bong, que deturpa a alfaiataria, com semiboleros de um lado só ou faz até calças brancas, pregueadas na horizontal, de alto a baixo.

Sapatos e sandálias bonitas no desfile do Sang Bong

Detalhe: alfinete de segurança, de verdade ou como estampa, fingindo que segura os pregueados

Quase todas as meninas são louras. Cabelos frisados miudinhos, presos em coque-banana.


Lie Sang Bong nos agradecimentos, na sala do Museu de Arte Moderna

Ficha / direção criativa: Sascha Lilic / cabelos: Tie Toyama / makeup: Lili Choi / esculturas de cabeças: Park SeungMo

Intervalo / não é de ficar invocada? Por que cada vez tem mais estilistas coreanos (bons!) em Paris, e do Brasil, país que tem o maior número de escolas de moda, só tem o Gustavo Lins, atualmente? Falta – para variar, a mesma conversa – apoio oficial. Turcos, portugueses e gregos chegam aqui com apoios oficiais, de ministérios ou governos mesmo. Fico invocada, também quando vejo que um Tablet (espécie de acessório para desenho no computador) aqui custa 1/5 (um quinto) do preço no Brasil. Ah, já sei: somos muito mais ricos do que os europeus / ninguém fala em gripe suína, máscaras, álcool, etc / Hillben Ho, editor da revista Hotspot, veio de Beijing para Milão (13 horas de vôo) e Paris. É a primeira vez nas semanas de moda, está muito animado, fotografa tudo. Já ouviu falar das duas semanas brasileiras. “Interessante, que vocês têm desfiles exclusivos de moda praia!”, comentou. Imagina se Hillben assistisse a um dos nossos desfiles, da Lenny, por exemplo


Anônimos

Meias cor de laranja


Botas e saia metalizada, tênis dourado e calça curta















Vitrines















A camisa xadrez também é obrigatória para os homens



Esprit: shorts e minissaia em versão inverno