Wednesday, August 26, 2009

Mais do que o inverno


David Shah, da revista ViewPoint

O seminário do inverno 2010 do Senac Rio foi muito além das previsões de cores e cartelas. Culpa do David Shah, genial editor do grupo View de revistas, confeccionista de ternos feitos na China, uma criatura das mais agitadas do mundo contemporâneo. Com provocações bem dirigidas pelo Carlos Ferreirinha, sobre o novo luxo - o assunto é inesgotável mesmo.














o palco com as moulages seguindo os temas do caderno de tendências


A parte dedicada ao que normalmente se espera de um evento destes ficou por minha conta, a pretexto de apresentar o novo caderno. Durante duas horas, que sempre me parecem pouco para tanto assunto, falei sobre os temas que, por coincidência, começaram todos com a mesma letra R. No final, antecipei sinais do verão 2010/11. Que - ainda bem! - coincidiram bastante com os fornecidos pelo Gert van der Keuken, do estudio da holandesa Li Edelkoort. Em vez de uma letra, ele preferiu o prefixo Mono. Com muitos cinzas e pretos, mais as cores de uma continuação dos Nômades Exóticos.

Interessante notar como, através destas pesquisas de sinais e tendências, aparece mais a atualidade da moda brasileira. Muitos toques do Gert já estão em uso por aqui.O meu texto foi complementado brilhantemente por moulages assinadas por Luciano Canale. Carlos Tufvesson, Felipe Eiras e Melk Z-Da.

Do David Shah, pode-se dizer que foi um salto para o Futuro. É um visionário, destemido, que foi logo me dizendo que este tipo de trabalho estava acabado. "Isto tudo, acabado!", gesticulou mostrando os cartazes do evento. Impagável. Radical e performático, percorrendo aos pulos o palco do auditório na Marques de Abrantes, ele anunciou que o Futuro virá mais rápido do que imaginamos, e que há dois tipos de previsões. "Primeiro, as previsíveis, que são controláveis. Segundo, as catastróficas, incontroláveis, que vão mudar tudo. Desde a organização da família até a saúde. Ninguém vai envelhecer". contou, antes da palestra. Por que antes? Porque eu devia sair cedo, para uma entrevista no Leblon, com o Matt Bernson, autor de sandálias gladiadoras à venda na Danae (a ser publicada na revista Domingo do Jornal do Brasil), e como já conhecia o David da primeira vez que ele esteve no Rio, há 10 anos, também a convite da Eloysa Simao, pedi para conversarmos antes da sua apresentação.
De cara, já me disse (depois de dizer que o meu trabalho estava acabado!) que eu tinha que ficar. Que falaria coisas importantíssimas sobre o Futuro. Mostraria imagens incríveis. Adivinhem? Fiquei. Mas também pedi que me adiantasse alguns pontos. Querem saber? Foi ótimo. Gostei mais da entrevista do que da palestra, rarara!

Outra boa contribuição nestes dois dias foi a leader. Muito bom ouvir e ver a evolução honesta, sincera e espontânea deste grupo 100% brasileiro, que tem o quarto cartão do país, em parceria com o Bradesco. Não pude assistir à Roberta Damasceno falando sobre a Dona Coisa a multimarcas cult do Rio.

Foram dois dias que valeram a pena as horas assistindo palestras. Fiquei feliz por ver que nossas pesquisas estão simultâneas com as globais, por ter alguém antecipando o Futuro de uma forma tão apaixonada. E por ter almoçado dois dias o filé a milanesa com batatas portuguesas do Lamas, ali pertinho, e gasto só R$ 20 de cada vez.

Intervalo / no almoço, fiquei sabendo que existe uma fábrica de guarda-chuvas e guarda-sóis em Mesquita! É a Pumar, que produz também para a Farm, Osklen e Via Mia / nestes eventos tem sempre umas chatices: o ar condicionado muito forte e o volume da tradução simultânea. Só podem ser surdos, os que ouvem aos berros, no aparelho / Na Marques de Abrantes, uma graça a Diverta, cheia de idéias pop e coloridas

Sunday, August 23, 2009

lá vem o inverno



Esta semana, o hit é o seminário, agora internacional, do Senac-Rio. Agora com o apoio luxuoso da Fecomercio, são 3 dias de evento comandado pela Dupla, que abrem na segunda-feira, dia 24, com o coquetel da exposição na Maison Figner sobre a trajetória de Vera Barreto Leite (ou Vera Valdez) como manequim (naquele tempo ninguém era chamada de modelo) da Maison Chanel.
Na terça, dia 25, a partir das 10h, tem a apresentação do caderno de tendências do inverno 2010. Ficou bonitão e eficiente, e não é só mérito meu. Temos um belo trabalho de equipe no Senac, e a contribuição sempre criativa da Marcia Cabral e sua equipe.
Espero conseguir resumir as influências internacionais, o forte do masculino e algo de jeans em duas horas.
Às 13h30, Flavia Damásio fala sobre a moda nas classes C e D, pela Leader Magazine

15h30: Roberta Damasceno conta como transformou uma pequena multimarcas na Donna Coisa, uma referência de moda Vera Barreto Leite é a de branco, na foto

17h30: coffee break

18h: Novos mercados, com Carlos Ferreirinha


Na quarta, dia 26:
10H: Gert van der Keuken fala do inverno 2010 e verão 2010/11

14h: David Shah falará sobre como a nova economia vai afetar o padrão de consumo


AQ expo fica aberta ao público até dia 13 de setembro. Mas as palestras são só terça e quarta!

Seminário Internacional Senac-Rio
Rua Marques de Abrantes, 99 / Flamengo - Rio de Janeiro

Wednesday, August 19, 2009



Tem certas lojas que dão vontade de comprar tudo, inclusive a decoração. Eu fico de olho até nos vaporizadores, os steamers que passam as roupas e perfumam o ambiente. Para quem admira os espaços da Osklen, aviso que alguns móveis e roupas mais conceituais estarão à venda nos dias 22 e 23 (este fim-de-semana) e 28 e 30 de agosto, das 12 às 22 horas, no Espaço Horto, no Rio de Janeiro. Um incrível Bazar Osklen, no Jardim Botânico

Espaço Horto: rua Abreu Fialho, 12 / Jardim Botânico - Rio de Janeiro




Intervalo / que nada de intervalo! tenho que corrigir: a origem da Guapa Loca é o Ceará! O Piauí é lugar de lojas, mas não é a base da marca

Friday, August 14, 2009

Guapa do Piauí



A Guapa Loca vem com tudo para o Sul Maravilha. Se é que ainda existe esta diferença entre Norte e SuL. A marca é baseada no Piauí, terra da Ônix Jeans (1), capital Teresina (2).

Jana Gradvhol cria os modelos, que neste verão chegam com inspirações amazônicas e tropicais em geraL. No catálogo, a paranaense Natalia Schueroff (Ford Models) (3) mostra sua languidez no jardim em Fortaleza, asinado por Burle Max, em foto de Caio Ferreira

Para ver o making of do catálogo, cliquem em http://www.youtube.com/watch?v=qgx-A4p1Nkw

 A Guapa Loca tem endereço no Rio, no Barrashopping (2408-3357).




Bazar de um dia

Parem com as compras, amigas paulistanas! Preparem as carteiras e cartões para o bazar da Any Any, que vai arrasar com descontos até 50% no sábado, dia 29 de agosto. Tem peça masculina, peça feminina, camisões de flanela (de R$ 144 por R$ 69); botinhas felpudas (de R$ 79 por R$ 49) e pijamas de flanela (de R$ 144 por R$ 69). E ainda tem muito frio, até outubro (4) para curtir estas compritchas.

Any Any: rua da Paz, 1.855 / Chácara Santo Antônio; tel (11) 5180-2177, em São Paulo

É só no sábado, dia 29!

 (1)  A Ônix manda no Piauí, onde faz parte da tecelagem Guadalajara, do  grupo Claudino. De 1980, é uma das marcas mais antigas de jeans no Brasil, e quem frequentou a Fenit, em São Paulo, deve lembrar que havia sempre um carro, um balão, algo com o logo deles do lado de fora do pavilhão do Anhembi. 

 (2)  Teresina tem muito design! Quando estive por lá, para falar de tendências, nos idos de 2002, por aí, visitei uma expo que derrubou meu queixo, de tantas peças lindas.

 A platéia da palestra tinha mais de 700 pessoas convocadas pelo Sebrae e pelo Senac. Como costuma acontecer nestas ocasiões, foi impossíveL ilustrar os temas das tendências, porque o salão era contornado por janelas altas, sem menor possibilidade de cortinas. Mas Teresina é muito bacana

 (3)  Natalia está entre as 10 tops da temporada, na categoria new faces. Tem 16 anos e já desfilou para Calvin Klein, Rodarte, Alberta Ferretti e Tadashi Shoji.

 (4) por que digo que ainda tem muito inverno pela frente? Porque sempre viajo em outubro, e quando ligo para casa para saber a quantas anda o tempo, sempre ouço que chove sem parar, faz 13 graus, etc.

Wednesday, August 12, 2009

Casa Cor abre em BH


Um dos ambientes mais minimalistas, o Café Nextel


Para quem espera sempre muitos detalhes barrocos e muito artesanato, a Casa Cor Minas Gerais, que vai abrir na próxima quarta-feira, dia 19, será surpreendente. É um tal de painel em MDP, feito em fibra de celulose de cana-de-açúcar, mesas de jantar simples, mas feitas em três tonalidades de madeira, paredes revestidas com textura de jeans, granitos exóticos e luxuosos (ah, sim, pedra de luxo é de lá Minas mesmo)

O homenageado da edição é o antropólogo Darcy Ribeiro. O local, a esquina da Alameda das Palmeiras com Avenida Otacílio Negrão de Lima, no bairro São Luiz, na Pampulha (outra coerência, já que é o bairro de arquitetura emblemática da cidade)

Novidades – esta edição que comemora 15 anos da Casa Cor mineira atraiu empresas que vão aproveitar o cenário para lançar produtos e serviços. Como a Ecowood do Brasil, Kia Motors, Lider Interiores, Nextel, Todeschini, Suvinil, Rio Rancho Mármores e Granitos.

Ambientes – segue uma amostrinha do jeito cool dos ambientes:

Garagem: Cristina Menezes assina esta área multiuso, onde seria guardado o carro, a moto, a bike, e onde podem ser realizadas festas familiares, reuniões com amigos para assistir a um jogo. O mobiliário é leve e empilhável, o espaço inclui uma cozinha compacta e uma lareira ecológica portátil. No evento, esta garagem serve de ninho para o Soul, o carro design da Kia Motors.
Café Nextel: o autor, Aloizio Meireles, combinou a arquitetura modernista e a cultura árabe no café- lounge com azulejo de espelho fumê bizotado, que reproduz o grafismo do guarda-corpo da ponte Gálata, em Istambul. O sofá longo e as mesas baixas reforçam o visual exótico-minima lista


Escritório do chef: um trio de arquitetas – Vanessa Lacerda, Ivana Andrade e Renata Gomes – pensaram em um local de trabalho que não fosse a cozinha, para grandes chefs, como Alex Atala e Claude Troisgros. A mistura de estilos com móveis modernos em laca preta e a mesa dourada e cadeiras Luis XV se apóia sobre o piso de conceito sustentável, com base cimentícia. A horta vertical reforça a intenção de criar o ambiente para um chef.

E mais: Aloizio Meireles criou um lounge em homenagem ao pintor Mondrian, em preto e branco. Uma sala de jantar foi inspirada em Darcy Ribeiro, assinada por João Carlos Moreira Filho e Maria Therteza Terence.

São 60 ambientes projetados por 80 profissionais, entre decoradores, arquitetos, designers e paisagistas. A entidade benemérita é o Hospital da Baleia.

A 15ª edição da Casa Cor Minas Gerais está montada de 19 de agosto a 06 de outubro, de terça a sexta-feira, das 16 às 22h; aos sábados, das 13 às 22h e aos domingos, das 13 às 19h.
Ingresso: R$ 30 (inteira), com meia entrada para estudantes e maiores de 60 anos. Crianças menores de 10 anos não pagam ingresso
www.casacorminas.com.br ou (31) 3286-4587

Intervalo / impressionante a evolução do shopping Tijuca. O talento de engenheiro, aliado à visão de marketing do Raul Barbosa, responsável pelo marketing do empreendimento, deu resultados marcantes / no Centro do Rio, a rua Gonçalves Dias está virando um point de moda. Tem a Miss Isa, a Karamello, a Shop 126 e vai ganhar uma flagship da Folic / Aliás, falando em Folic, inaugurou hoje uma grande loja no Rio Sul / outro link: o Rio Sul deu um jeito bacana na fachada, ficou ótima, como uma estufa gigante / Silvinha de Souza direto na ponte Rio-Vitória, preparando a semana de moda da capital capixaba / Mr. Cat com mocassins femininos fofíssimos, em tons pastéis / Richards com boas calças boyfriend nas vitrines

Sunday, August 02, 2009

LOOK BACANA



O inverno anda por aqui pelo sudeste do Brasil. Muito estrangeiro não acredita que vestimos casacos, calçamos botas e usamos cobertores neste mes de julho.
Ainda teremos algumas temperaturas baixas em agosto, como sempre, em plena temporada de saldos nos shoppings e de bazares na cidade. Quem ainda não tem uma bota, quer outra suéter básica para garantir – vai que pinta uma viagem para o hemisfério norte no fim do ano? – ou busca uma calça jeans que não seja de cós baixo nem de corte indefinido, pode botar o capacete com luz na cabeça e sair pelos descontos, como um mineiro procura preciosidades nas minas escuras.

Enquanto isso, sugerimos um look para esta etapa:
Skinny gelo
Camiseta com grafismos grafites em fundo gelo
Sandália-gaiola alta ou ainda a bota de cano curto, franzido, de salto alto ou baixo

IMPORTANTE é a COR, O CINZA-GELO

Para trocar: o casaco fofão, peludo, por um over, um casaco desestruturado, em tricô macio, arrematado por babado. Em preto, fica sério (tem na Dimpus). Em azul-jeans, como a Aspargus costuma ter. Coral e terra também são boas opções, vale ver na Duda Simonsen (galeria Secreta, em Ipanema)

Mudou o tempo? Assuma a sandália alta, guarde o casaco para o próximo inverno (não, ele não vai na mala daquela viagem para o hemisfério norte, é grande demais), e acrescente um cinto colorido (na Bo.bo ou na Soulier)

Fonte: desfile de Paul & Joe (março de 2009) Foto: Marina Sprogis