Tuesday, May 19, 2009

Fim de tarde na Firjan


Os jovens do programa Despertar para a Moda


Enfim, hoje ouvimos a Firjan sobre a troca de Eloysa Simão por Paulo Borges, no comando do Fashion Rio. O próprio presidente da entidade, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira convocou repórteres de moda para explicar a mudança.
Vamos por parágrafos:

“estávamos saindo do nosso foco da Firjan, o de fomentar a indústria, qualificar a mão-de-obra, atender às demandas dos associados. Não podíamos mais continuar saindo do objetivo, tratando de montagem de tendas e cachês de modelos.”
“em agosto do ano passado fomos procurados por um grupo do banco Pactual. Foi uma conversa rápida, sem muita importância. Em dezembro, eles voltaram com outra proposta. E em março, enfim, aceitamos a proposta final. Um contrato de 10 anos para o empreendimento do Fashion Rio”.
“Não sabia que a luminosidade era sócia do Pactual, nem conhecia o Paulo Borges. Agora conheço, achei ótimo”.
“Vamos fazer o Fashion Business, a bolsa de negócios que é o grande diferencial do evento”
“A Eloysa foi fantástica, uma grande parceira. Mas a vida é assim. Era uma proposta quase milagrosa, que resolveu o impasse”.

A reunião foi no imponente prédio da Firjan, no conforto de uma sala onde foi possível ver o material gráfico do evento. O ícone é o desenho de um robô meio toy-arte, criado pelo Oestudio, com elementos de indústria e moda, como tesouras, alfinetes e tubos. Na parte de dentro dos convites e folders, uma foto revela uma nova menina dos olhos da Firjan: o programa Despertar para a moda. Trata-se de um esforço no sentido de atrair para as técnicas da confecção e modelagem os adolescentes de 13 a 14 anos. Por enquanto, desde o ano passado o Despertar trabalhou com alunos de uma escola do SESI em Jacarepaguá, mas em breve será aplicado também em comunidades carentes.
Estas primeiras turmas contaram com padrinhos importantes. Jaqueline de Biase, da Salinas, Carlos Tufvesson e Alessa Migani conversaram com a meninada e contaram como pode ser muito mais empolgante trabalhar com moda do que com informática, que é o sonho de profissão dos jovens.

É uma fase de mudanças e transformações. Negociações e acordos novos. De toda esta conversa, conclui-se que o Despertar, se for levado a sério e continuar no ar, pode ser o fator renovador da moda brasileira. Os desfiles e eventos são vitrines para que os jovens mostrem os resultados do Despertar para a moda.

Intervalo / bem, não exatamente um intervalo. Foi um tempinho antes da entrevista, enquanto esperávamos a decisão se seria um encontro no terraço ventoso da Firjan ou em alguma sala no interior do prédio (onde foi, afinal). Tempo suficiente para documentar como se vestir para uma coletiva: Elda Priami, da agência que atende ao setor de moda da Firjan, estava de pantalona preta e blusa branca, sapatilha de bico fino. Patricia Rocha, do site Glamourama, preferiu o jeans branco e o xale palestino. Heloisa Marra, do site do mesmo nome, de preto, mas com uma sobreposição marrom-escuro. Carol Novaes, do Globo, de chemise preto. Quer dizer: o preto predomina nesta temporada meio fria e ventosa, em fim de tarde.



Carol, do O Globo Elda Priami



Patricia Rocha, do Glamourama Heloisa Marra