Tuesday, February 24, 2009

Tá feia a coisa em Milão

A segunda grife de Roberto Cavalli não se apresentará em Milão na quinta-feira. A empresa Ittierre, licenciada da Just Cavalli, entrou com uma espécie de pedido de concordata, e o estilista italiano preferiu cancelar o desfile para não comprometer a imagem da marca e seus clientes.
A Ittierre também tem as licenças da VJC Versace, Versace Sport, C’N’C Costume National e segundo o jornal WWD, as grifes de John Galliano. A Ittierre é controlada peo grupo IT, que tem Gianfranco Ferré e Malo como marcas.
Por enquanto, a segunda marca da Costume National está confirmada com desfile na sexta, dia 27, assim como a apresentação de Ferré. A Malo recebe com hora marcada no show-room de Milão.

Intervalo / neste útimo dia de carnaval, esperando o bloco A Rocha passar na Gávea, já rodei por Ipanema, com uma missão muito pouco carnavalesca: dentista! Dentes gostam de perturbar nos feriados. O Dr. Roberto Ito atende, sem problemas. Na porta do consultório, a plaqueta anuncia que é cirurgião-dentista, etc e tal e mais, é especialista no tratamento do ronco. Inventou um aparelhinho especial para isto, e recebeu a patente do Ministério. Uma boa, para os roncadores / as vitrines da Visconde de Pirajá anunciam as vendas com bons descontos, a partir de amanhã, quarta-feira de cinzas. Chama a atenção a Jelly, quase esquina de Aníbal de Mendonça. É a loja-conceito da Melissa, cheia daqueles modelos de sapatos lindos que eu só via nos salões internacionais / delícia de carnaval, a comida baiana que o chef Rogerio preparou no Sheraton Rio. Nada de tempero para turista: o bobó e o acarajé estavam perfeitos. Claro, que a pimenta estava amena, quem quisesse esquentar mais, era só se servir.

Sunday, February 22, 2009



As lojas Dufry dos aeroportos internacionais estão com toques carnavalescos. Dos mais bonitos, o trabalho de artesãs da ONG Amebras – Associação de Mulheres Empreendedoras do Brasil - que confeccionaram máscaras de anjos, para os perfumes Angel, de Thierry Mugler.
Angel é um dos cinco perfumes mais vendidos no mundo.


Uniforme nos blocos: shortinho, camiseta ou regata e arco com anteninhas, bolas, qualquer enfeite com molas, nas cabeças. Hoje, na padaria, uma menina portava uma...cartola! Deve ter saído no Escangalha, bloco novinho da Gávea e estava comprando água para encarar o Simpatia é quase Amor, na praia de Ipanema.

Ontem, no Hortifruti do Leblon, endereço de elite e formadores de opinião de moda, só dava Havaianas e ecobags. Bom sinal, este das bolsas de tecido. Se esta turma começou a aderir, tavez em dois anos vire quase obrigação substituir a sacola plástica pelas de lona


O supermercado Zona Sul é uma filial do mundo. Além da manteiga President e da água Perrier, em todos os tamanhos, tem a Lavanda Puig espanhola (R$ 39,90). E chegou uma água Blue, brasileira, em lindo frasco azul, no tom igual ao de uma famosa água californiana. Não resisti, comprei pelo encanto pela garrafinha, claro.
Algumas lojas do ZS têm pizzaria e café da manhã a quilo. Provei a pizza na filial da Prudente de Moraes, em frente à General Osório, não deu certo. Nem atendimento nem sabor. O café da manhã na Gávea, apesar de ser em espaço pequeno, é melhor do que na Dias Ferreira. Há mais self-service e mais agilidade na Gávea. Os pães ficam pouco visíveis no Leblon. E o suco tem que ser pedido no balcão.
Por enquanto, o melhor café da manhã da cidade é do Marriott, em Copacabana.

Depois da quarta-feira de cinzas, nada de guardar a fantasia: ainda rola o Bal Masqué do Sofitel, com direito às dançarinas do Moulin Rouge, de Paris

Friday, February 20, 2009



Alexandre Herchcovitch, elogiadão

Quando vi esta coleção, em São Paulo, escrevi que mesmo considerado difícil de entrevistar, nem sempre simpático, Alexandre Herchcovitch era um bom estilista. Ainda que brincasse com a falta de evidências das referências a Berlim, cabarés, etc, citadas no texto do press-kit – havia um texto, o que já era um sinal de simpatia! -, reconheci que era uma bela coleção, com todas as caracteristicas do cara.
Para as colegas da imprensa americana, a reação foi a mesma. No WWd, consideram a roupa tão cool quanto usável. Não viram excessos nos paetês sobre estampas, nem nas muitas camadas de alguns modelos. Foi um sucesso merecido, e a definição final do texto afirma que foi uma das melhores coleções do Herch, “uma coleção forte, de um homem que sempre tende a ser agressivo, mas desta vez mostra seu lado suave”. Muito bem.

Intervalo / hoje fui à Barra, entrevistar o Werner. E a Barra estava em seus melhores dias: céu azul, mar crespinho pelo vento, lotado de parapentes, windsurfers, lindo. Deu vontade de estacionar de novo, parar em um quiosque e admirar o movimento. Só não fiz isto, porque lembrei de um pequeno detalhe: de dentro do carro, com ar condicionado, todas as paisagens são belas. Como estava engarrafado, aproveitei e curti o visual, no fresquinho do carro / modelo hit da semana no Rio: vestido polo soltinho, pouco acima dos joelhos

Thursday, February 19, 2009

Calvin Klein volta para cas


Ítalo Zucchelli, diretor de criação da moda masculina de Calvin Klein, decidiu voltar a desfilar em Nova York, depois de 11 anos apresentando a coleção em Milão.
Nos 44 looks ficou evidente que há uma preocupação com o comercial. Mesmo sendo modernos, monocromáticos, ajustados e inovadores, os looks têm um jeito de fáceis de vestir pelos homens mais conservadores.

Importante: ternos em tecidos mistos, em cinza-grafite. Corte estreito, usados com camisas e gravatas nos mesmos tons.
A modelagem dos ternos segue o que Ghesquière fez na moda feminina: o tecido é modelado sobre espuma
Hoodies com fechos, acolchoados.
Som: trilha de West Side Story, por Leonard Bernstein


Um dos destaques do desfile foi a fila A, onde estavam instalados os atores Jared Leto, Chance Crawford e Patrick Wilson, além do músico Kanye West, todos no auge da moda, de preto e com formas ajustadas. Pode ser o frio novaiorquino...

Tuesday, February 17, 2009

Miele arquitetônico





Longos e curtos em preto e branco foram destaques da coleção baseada na Arquitetura



Carlos Miele desfilou a coleção de inverno na segunda-feira, em New York. Mais uma vez, usou influências externas à moda, a Arquitetura, como inspiração. Do que vi na internet, gosto justamente da ala que mais tem a ver com a geometria, que são os modelos com preto e branco, com as dobraduras dando relevo.
Mas mais importante do que este estilo, que já conquistou as habituês dos tapetes vermelhos, é o lançamento de uma linha de jeans de luxo, no mercado internacional. De jeans, Miele entende e muito. Basta ver a permanência da M. Officer no Brasil, em meio a uma concorrência mega poderosa.
As fotos são reproduções do WWD.
Cruzeiro Prata Gourmet a bordo do Costa Mediterrâneo

Logo após o Carnaval a opção gastronômica é embarcar para um cruzeiro marítimo com a chef Mônica Rangel, mais outros cinco consagrados chefs brasileiros e sete experts em alimentos & bebidas para participar de um programa bem elaborado, de dar água na boca! São oferecidos workshops, aulas de culinária com degustações, jantares temáticos enogastronômicos e até a chance de concorrer entre os passageiros ao título de chef revelação, preparando um prato ou um drink. Tudo isso e muito mais singrando os mares a bordo do Costa Mediterrâneo que zarpa do Porto do Rio de Janeiro, às 18 horas do sábado dia 28 de fevereiro retornando segunda feira dia 9 de março aportando de volta ao Rio às 08 horas.

Elenco de Chefs

Salvatore, o chef que comanda a cozinha de bordo, dará toda assistência aos chefs à frente do evento enogastronômico. Fazem parte do elenco do 2º Cruzeiro Prata Gourmet chefs, membros da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança: de Visconde de Mauá, Mônica Rangel; de Olinda, César Santos; do Rio de Janeiro: Flávia Quaresma; Conceição Neroni e Paulo Pinho; de Paraty Ana Bueno; e de Brasília, William Chen Yen, sommelier, responsável pelas harmonizações eno-gastronômicas e pelo workshop de vinhos.
O Cruzeiro Prata Gourmet ruma com destino às cidades de Buenos Aires, Argentina; Punta Del Este, Uruguai; Porto Belo, Santa Catarina; Santos, São Paulo. Cabines a partir de US$ 1.200. Informações pelo telefone: (11) 2714-4000, site: www.costacruzeiros.com.br

Anita Bernstein

Pequenas delícias: as tirinhas de laranja cobertas com chocolate amargo, da Cacau Noir (Rio Design Leblon)
Os chocolates da Lugano, em Gramado
Os bolinhos Financiers do Garcia e Rodrigues
O brigadeiro de colher da Severino, na Argumento (rua Dias Ferreira)
O sorvetinho servido de madrugada nos vôos da Air France
(Iesa Rodrigues)

Sunday, February 15, 2009


Alguns acessórios que entraram em leilão neste domingo, dia 15





Uma versão filhote da bolsa poderosa, a MaraMac, em print python, com alça bandoleira. O sapato Mondrian da Swains,
um kit de vestidinhos mãe e filha da Maria Bonita e da Bonitinha. O colar com pingente de cristal em lapidação briolet, que a Madonna levou, da Lídice Caldas. Um longo com fuxico no decote, do Carlos Miele. O vestido de paetês sobre a estampa de São Jorge, que o menino-menina Patricia usou no desfile da Complexo B, no Fashion Rio. Estas são algumas peças que vão a leilão e foram entregues hoje, na Vivo Summer House, na esquina da Vieira Souto com Farme de Amoedo ao som de uma trilha eleita pelo Dudu Garcia.

Ao mesmo tempo, as duas pistas da avenida estavam tomadas por um super-bloco, com o Afro Reggae no carro de som. O máximo, aquelas cenas e ocasiões que só acontecem aqui no Rio.
O leilão começou com lances mínimos de R$ 100, mas vai rolar até dia 1º no site da Vivo. Cliquem em www.vivo.com.br/veraoconectado.

Mara MacDowell e a bolsa mignon, para usar à bandoleira

Vejam lá, que tem sapatos da Constança Basto, uma penca de prata e madeira da Mônica Pondé, bolsa linda em franjas de ráfia da Glorinha Paranaguá, longo estampado do Rogério Pires, camisas da Essencial, um casaqueto em animal print da Claudia Simões, uma bolsa Chelsea, em canvas com camada de PU, que é o verniz moderno, no tom Rice, da Victor Hugo – é o hit da estação, da grife. E mais, um shorts, camisa e golinhas avulsas da Nica Kessler, que vai apresentar projeto para o Fashion Rio, para ingressar na agenda de Novos Designers. Uma shopping bag da linha Lixo Nobre, do Gilson Martins. Da Mary Zaide e da Miss Zaide, blusa com pluminhas e casaqueto com o logo da gatinha.
No site ainda devem entrar outras peças da Via Mia, da Maria Bonita e talvez, o candelabro da própria Coopa Roca, em prol da obra da sede nova.

Ao mesmo tempo, o JB montou uma expo virtual de fotos de praia dos anos 60 e 70, muito bacanas. O Evandro Teixeira apareceu por lá, todo animado. Olha ele aí, comigo e o vestido de paetês da Patricia, no desfile da Complexo B.
Mais tarde chegaram a Malba Paiva, direto de Búzios, o André Batista. Ficamos lá, de conversinhas, até quase nove da noite. Saí com a impressão de que a moda carioca quer contribuir com causas deste tipo, e gosta de encontrar os colegas , para confraternizar. Foi uma boa ideia do Guilherme Borges, da produtora OSC, esta de me convocar para reunir o pessoal da moda.

Quem e como estava lá

Tetê, de bata Carlos Miele, com pala de crochê da Coopa Roca, calça Maria Bonita e sapatos D'Autore





Daniela Sabbag de vestido Leeloo, sapatos e bolsa Via Mia


Nica Kessler com vestido da...Nica Kessler


Teddy Paez e a bolsa Chelsea, da Victor Hugo







Luis Eduardo Siqueira Campos, de jeans resinado italiano, camisa Gucci e sapatos Corso Como



e tudo acaba em bloco de Carnaval!

fotos de Ines Rozario

Saturday, February 14, 2009



Damyller, total black

A grife catarinense celebra 30 anos com a coleção Denim Celebration, inteira de jeanswear. Um inverno austero, mas cheio de formas com volumes, estruturas amplas e modelagens secas. Tanto que inclui calças skinny e boot cut, em tecidos com trama jacquard. O jeito boyfriend faz parte, claro.
Além desta sobriedade, há a influência nômade ou folk, inspirada principalmente no Leste Europeu.
Nos acessórios: boinas, chapéus, lenços de flanela


Para os homens, a coleção a versatilidade de camisas e jaquetas com efeito amassado para lazer e trabalho. Muito xadrez, tendência da estação e estampa a linha de camisas em tricoline. O estilo esportivo está presente com moletons, t-shirts e pólos em manga longa.

Ficha técnica: Modelos: Renata Kuerten e Diego Cristo Fotógrafo - Rubens Angelotti Beleza - Diogo Molinos Styling - Fábio Paiva e Arlindo Grund Criação - Neovox Comunicação
Locação - Florianópolis/SC


Intervalo: demorei a comentar a falência ou fechamento da Zoomp. Porque demoro a entender, apesar de saber avaliar a situação de uma marca. Antes de ser incluída em um grupo empresarial, já andava mal. Depois de entrar para o grupo, o estilo ficou por conta do Alexandre Herchcovitch. Dura missão, de criar uma coleção nestas condições. Se fizer igual ao que era, o que seria mais normal, corre o risco de continuar não vendendo, como antes. Se mudar e seguir o próprio estilo, como fez Herchcovitch, não só descaracteriza, como tem um detalhe: quem um consumidor de moda prefere atualmente: Zoomp ou Herchcovitch? É um caminho difícil, talvez um reposicionamento de preços e mais realidade nas coleções, caindo para uma coleção menor e mais rápida, fosse uma solução / agora, comento sobre o Ocimar Versolato, que declarou em entrevista que blogs são bregas. Dizer o que? Que esta é uma das razões por que o genial estilista foi ofuscado pelo inconsequente entrevistado, no mínimo. Ele sabe tudo de moda, mas muito pouco de relacionamento e da importância de seu papel profissional. Diz a etiqueta do mundo profissional, que nestes casos, pode-se até sinceramente achar algo brega, cafona, horroroso, mas ninguém ganha nada falando, lendo ou ouvindo isto. Ah, esqueci: ganha sim. Algumas linhas publicadas em jornal e comentários em...blogs!

Friday, February 13, 2009





Uêba, uêba! Corram na Novamente (rua Sete de Setembro, 43, 5º andar / Rio de Janeiro) hoje, para fazer compras e curtir o tradicional bazar com música brega com o DJ Hisato. A seleção dele inclui hits do Luiz Ayrão, Jane e Herondi, Benito de Paula, Kátia, Agepê, Wando, Elimar Santos e Rosana. No bazar, os acessórios custam R$ 10 e os vestidos de festa, como este do Reinaldo Lourenço, R$ 200. Fatima Lomba, proprietária da Novamente quer acabar com o acervo. O que sobrar vai para instituições de caridade!
Mas corram, porque é só hoje, sexta-feira 13.

Bruno Fabregoul e Carolina Furlan vão apresentar as novidades de Narciso Rodriguez na segunda-feira, no hotel Fasano Rio. Deve vir perfume novo por aí.

No domingo, recebo amigos da moda na Vivo Summer House, para encontro pós-praia (ou será plena-chuva?). Para ver, exposição de fotos de praia do Rio das décadas de 60 e 70, do acervo do Jornal do Brasil; para ouvir, o DJ Dudu Garcia e para ajudar, entrar na campanha para ajudar a Coopa Roca a ter sua sede nova. É o Moda que transforma, evento que tem grandes possibilidades de continuar em atividade.

Um filme importante, o Revolution Road (Apenas um sonho), do diretor Sam Mendes, com Leonardo di Caprio e a Kate Winslet. Figurinos impecáveis do Albert Wolsky (veio ao Brasil, no lançamento do filme Moon over Parador), e direção de arte de Kerry Carriker Thayer.

Carlos Miele desfila a coleção de inverno em Nova York na segunda-feira, dia 16. Só o som já vai ser incrível: Max de Castro ao vivo com sobreposições de músicas dos Miles Davis.

Tuesday, February 10, 2009

David Azulay



Perdemos hoje o David Azulay, nosso jovem de 56 anos, nosso inquieto lançador de modismos de praia. Reparem que não era moda, era modismo mesmo, coisa que dura mais de uma temporada, a diferença de inventar o sunkini, o sungão, o biquíni de jeans, de crochê. Nunca deixou de fazer uma moda muito colorida, realista na Blue Man. Apesar de gostar de mostrar a coleção de um jeito especial: basta lembrar do espetacular desfile em 2006, em frente aos arcos da Lapa, no Fashion Rio. Ou do sucesso que foi a leva de salva-vidas cariocas, na vez em que escolheu a São Paulo Fashion Week para desfilar.
David era assim, fazia o que acreditava, e o que bem entendia. Participava do evento que quisesse, onde escolhesse, tal a força do seu nome da sua marca. Gostava de escolher elencos de modelos com corpos de gente real.
(à esquerda, o desfile na Lapa, com 700 figurantes, em foto de Marcio Madeira)
Foi pioneiro também na sacada de South Beach, quando ninguém via futuro no bairro de Miami Beach. Abriu loja própria da Blue Man por lá, saiu em revistas do mundo inteiro, sempre com a produção made in Benfica, no galpão no subúrbio carioca. Por lá passaram como estilistas a Patrizia d’Angelo, o André Lima. Sem falar na amizade e admiração que o David tinha pelo irmão, Simon Azulay, que faleceu em 1988. Os dois começaram juntos, em uma sala de Copacabana, David fazendo cintos de couro e Simon aplicando pedras e strass em calças jeans. A dupla foi por caminhos diferentes, pela moda praia e pelo jeans e moda feminina, mas sempre houve uma coerência entre nas vitrines da Blue Man e da Yes, Brazil. Nem que fosse a alegria das estampas tropicais, de selvas, flores e zés cariocas, em técnica aerografada, as vitrines com o boneco com a cabeça do ator francês Fernandel, trazido debaixo do braço, de Paris. Um humor carioca, de verão, que nunca perdeu o senso comercial profissional. Vai fazer falta, o jeito do meninão praieiro que sabia tudo de moda para gente de verdade usar.







David Azulay (Pará,1953-2009) | Blue Man: sunkini, sungão, lacinhos, biquini de jeans, biquíni de tricô ou crochê

(fotos Marcio Madeira)

Monday, February 09, 2009

Christian Louboutin, o homem da sola vermelha





O universo dos grandes estilistas de sapatos supera os nomes de Ferragamo, Roger Vivier e o mediático Manolo Blahnik. O parisiense Christian Louboutin aterrissa hoje no Brasil, para contar sua história e inaugurar a loja no shopping Iguatemi, em São Paulo.
Louboutin é o criador do momento, graças à sofisticação de seus modelos, que não perdem o valor artesanal e o toque do fetiche. Capricorniano, parisiense do 12º arrondissement (região de Bercy, Nation, na margem direita do Sena), quando criança se impressionou com um desenho da década de 50, de uma mulher de salto agulha vermelho, nas paredes do Museu da Arte Africana. Na época, os sapatos altos estavam fora de moda, mas a imagem marcou.
Aos 15 anos começou a conviver com o submundo da noite de Paris, as noitadas no clube Le Palace, ponto de encontro de estilistas, modelos e ícones dos anos 1980. Logo foi indicado como aprendiz no Folies Bergeres, onde desenhava sapatos para as dançarinas. Daí, desta experiência, aprendeu a unir a beleza e o conforto nos calçados e passou para as marcas de moda. Trabalhou para Charles Jourdan, Dior, Chanel e Yves Saint-Laurent.
Mas no final dos 1980, diante da onda japonesa da volta da moda desglamurizada, minimalista, de mulheres calçando sapatos masculinos, o estilista trocou a moda pelo paisagismo.
Até que soube de um espaço disponível em uma obscura e empoeirada galeria, a Vero-Dodat, próxima ao Museu do Louvre, e decidiu voltar a desenhar sapatos. Mesmo distante do então circuito oficial da moda de Paris, dos Champs Elysées, da Avenue Montaigne e do Faubourg Saint-Honoré, seus lindos modelos com pedras, lacinhos, flores e a sola vermelha chamaram a atenção de consumidoras como a princesa Caroline de Mônaco e da imprensa de moda americana, sempre em busca de novos endereços.


A beleza e o conforto das coleções agradam a quem gosta e pode pagar os 700 dólares que custam, no mínimo, os luxuosos escarpins. Nicole Kidman, Gwyneth Paltrow, Madonna, Cate Blanchett e a dançante Tina Turner são algumas das adeptas do discreto capricorniano. Discreto e agora famoso, com direito a retrospectiva no Instituto de Moda e Tecnologia de Nova York no ano passado, figurino para filmes de David Lynch e venda de produtos em 46 países. O Brasil é o número 47, vamos ver de perto a arte de Christian Louboutin, os sapatos de sola vermelha e a inspiração nos saltos-agulha dos anos 1950.

Thursday, February 05, 2009

Praia daqui a um ano





O próximo verão será brilhante, mesmo que o sol apareça pouco. Segundo as previsões de tendências apresentadas pela equipe da Invista, que produz a Lycra no Brasil, maiôs e biquínis terão aplicacões de cristais e aviamentos de metais dourados. O encontro informal no hotel Caesar Park com representantes de marcas baseadas no Rio, como a BumBum, Catalina e Gaúcha, mostrou também que, mais importante do que estampas ou lacinhos, é o lançamento do fio Lycra Xtra Life, que resiste ao cloro e mantém a forma por dez vezes mais tempo que o fio atual.
Segundo Silvana Eva, gerente de moda praia e íntima da marca, o novo fio atende aos desejos expostos em pesquisas feitas com consumidoras americanas, que como as brasileiras, gostariam de maiôs e biquínis que resistissem ao cloro, não perdessem a forma e em primeiro lugar, dessem apariencia de mais magra. “Até julho todas as tecelagens devem migrar para o Lycra Xtra Life. Mas só na moda praia e fitness, porque os demais tecidos não têm contato com o cloro”, adiantou Silvana, que acrescentou que a diferença de preço não será exagerada, mas as peças ficarão um pouco mais caras.
No panorama internacional, a moda praia brasileira ocupa um posto de referência de estilo. Mas foi a partir da adesão ao fio elastano, que ficou conhecido pelo nome Lycra, que surgiu a moda praia nacional. Mesmo não sendo o maior produtor, o mercado brasileiro tem tanta importância que mereceu uma fábrica para produzir o fio, a Invista, baseada em Paulínia, estado de São Paulo.
Além do olhar para as futuras coleções, o encontro evidenciou algumas boas notícias. Yan van Kuyk, da Malharia Águia, que continua produzindo a tradicional marca Catalina, celebra a exportação de 40 mil peças para a Victoria Secrets, em 2008. E tanto Evanize Gaino, da grife Gaúcha, como Sonia Felix, do departamento de marketing da BumBum, estão dando a partida em projetos de treinamento de costureiras especializadas. “Temos 22 funcionárias, a maioria com mais de 45 anos. Quem vai substituir esta equipe, quando elas se aposentarem?”, argumentou Sonia.
Para o verão de 2009/2010 as tendências gerais indicam que maiôs e biquínis devem ter visuais modernos, inspiração no mercado dos esportes, estampas gráficas e transparências.

Detalhes das tendências
Segundo Silvana Eva, a base da roupa de praia sempre será a moda. De uma calça de couro ou de um vestido franjado, saem idéias para as diminutas peças que desfilarão nas areias. As pesquisas da Lycra apontam estas propostas:


Natureza: tecidos leves, drapeados e plissados. Estampas de pedras, areia, casca de árvore, folhas e peles de bichos. Cores de natureza


Escultural: sobreposições e recortes, visual acetinado, efeitos metálicos. Inspiração na arquitetura e na escultura. Blocos de cores clássicas.



Artístico: para as antenadas, que entendem o valor de detalhes artesanais. As estampas parecem pintadas à mão. Franjas, bordados, crochês e macramês feitos com a mesma Lycra. Cores fortes


Histórico: referências no Art Nouveau e no Art Deco. Geometria, formas rebuscadas. Drapeados, véus e gazes. Estampas reproduzem rendas. As cores parecem gastas