Sunday, January 11, 2009

Fashion Rio
Domingo, 11 de janeiro de 2009

A coletiva, assunto de governo

Como previsto, o dia está ensolarado e o céu, azul. Afinal, Fashion Rio nunca começa com chuva. É a força da Eloysa Simão.
Isto já é sabido e falado. A novidade da entrevista coletiva é que finalmente o poder oficial se dá conta da importãncia política do evento para a cidade. Tanto que foi feita nos decorativos salões do Palácio da Cidade, local festivo e de reuniões usado pela prefeitura. Lá estava o prefeito recém-empossado, Eduardo Paes, que conta os dias de governo, “é o meu segundo domingo de governo”, a secretária de cultura, Jandira Feghali, falando sobre a Lapa,que agora vai virar bairro de verdade; Sergio Malta, diretor superintendente do Sebrae, e mais os batalhadors de sempre, Fernando Pimentel, diretor superintendente da Abit, que roda o mundo vendendo a moda brasileira, Edaurdo Eugênio Gouveia Vieira, da Firjan, autor da inspiração na Lapa como conceito da semana, que lembrou que o Fashion Rio é a parte glamurosa, mas tem também a atitude que traz renda, crescimento e qualificação. Citou um projeto em Jacarepaguá, onde atuam Jaqueline de Biase (Salinas), Carlos Tufvesson e Alessandra Migani (Alessa), falou que o Rio exportou mais 7% neste ano, enquanto os outros estados que exportam moda – São Paulo e Santa Catarina – diminuiram. “A Firjan não está aqui por emprendimento próprio; é pelo business dos outros”, definiu. Eloysa Simão, de túnica bordada e pantalona da Printing (marca mineira que estréia nesta edição), definiu com o integração a palavra certa para a atual situação. Desde a mudança da planta na Marina, que integra as salas de mídias com os patrocinadores em espaço único, até a entrada geral por dentro do Fashion Business. “Há também a compreeensão de que atualmente é preciso integrar com o mercado. Acabou o tempo do estilista seguir apenas a cabeça ou o coração, na moda. Quem trabalhar assim, vira autista. E o design maravilhoso tem que ter preço competitivo. Como aconteceu no setor de decoração, onde empresas como a Tok & Stok e a européia Ikea convocam designers para criar e produzem peças a preços razoáveis”. O Fashion Businesse é unanimidade, elogiado por todos, por ser justamente a parte que linka as ongs, os polos criativos e o luxo das marcas conceituadas.

Nesta 14ª edição, o Fashion Rio acredita nos serviços inquestionáveis que presta à economia brasileira. Como testemunha do evento desde o princípio, lembro que Eloysa começou o Fashion Rio em 2001, dizendo que a moda brasieira precisava criar musculatura. Afora, ela afirma que temos a força.

Intervalo / ainda não há ar condicionado na área de convivência, por enquanto só nas tendas de desfiles e no lounge do Jornal do Brasil, ôba / na Lilica, filhas de famosos desfilam com muito desembaraço. pelo menos no ensaio, a Alicia Prudente, filha do Marcos Paskin e da Fabiana Kherlakian, estava muito desinibida. As outras minicelebridades são Thayná Bvorges (atriz que faz a Maysa como criança na minissérie), Luiza e Alice (filhas do Danton Mello), Alice e Helena (filhas de Heitor Martinez e Anna Markoun) / no camarim, a ruivinha Brenda, modelo profissional da agência Desirée, suportava a sessão de escova na maior calma. É a terceira vez que desfila para a Lilica Ripilica!