Friday, November 28, 2008

Fashion Rio à vista

Em vez de festa, um jantar. Em vez de Oi, a Petrobrás. O Fashion Rio não pára, se prepara para enfeitar a Marina da Glória de 11 a 16 de janeiro de 2009. Só pára quando Eloysa Simão decide. Ela resolveu trocar o gasto, a negociação complicada para conseguir o local e os problemas com os convidados, quase todos ocupados no meio da semana, por um belo jantar na ainda mais bela casa de Eduardo Eugênio e Cristina Gouveia Vieira, no alto Humaitá. Com a presença de profissionais da imprensa especializada e colunistas como Hildegarde Angela e Cléo Guimarães, mais a Lu Lacerda de digital em punho, foi uma noite de chuva e bufê Aquim. Mara Mac adiantou que vai ficar em torno do chá; Jaqueline de Biase estava feliz por dar uma pausa nos desfiles, já que não participa da edição de inverno; Ricardo Dias Ferreira ouvia sorrindo a notícia que a filha, Bianca Ferreira, terá um show especial na semana de moda. Malba Paiva e Alexandre de Aquino também contentes com a premiação do desfile de verão, comentavam a ida para a fábrica em São Cristóvão. E Andrea Saletto se prepara para voltar ao Fashion Rio, mas acha que será na semana de verão, porque está em fase de reestruturação da fábrica. Tufvesson, Carla Cavendish, Lenny Niemeyer, Glorinha e Naná Paranaguá, foi um belo quorum.
Quanto ao Fashion Rio, Eloysa Simão adiantou que será em torno da Lapa e outros pontos turísticos da cidade. Rua do Lavradio, Rio Cenário, vamos circular um bocado, em busca das coleções de inverno.

Sunday, November 23, 2008




Eva Green, de verde Gao Yuan Yuan

Charlize Theron e John Galliano



Um bom motivo para ir à China é a exposição Christian Dior e os artistas chineses, que abriu no dia 15 de novembro no Ullens Center of Contemporary Art (UCCA), em Pequim (ou Beijing). Vejam só as convidadas e o John Galliano em estilo Total Dior no dia da festa


Livros novos
Antonia Leite Barbosa sai com mais uma edição da Agenda Carioca pela editora Senac Rio, com festão com direito a minishow da Fernanda Abreu, Djs, quitutes do Manekinekko, Gloss, Mil Frutas.
No dia 26, quarta-feira, no Namaste Club, a partir das 19h. O show da Fernanda começa às 21h30
Namaste Club: anexo ao Jockey Club da Gávea, na Praça Santos Dumont, 31 / Rio de Janeiro

Dia 29 Gilson Martins lança mais um livro, o segundo da carreira. É o Viajando no Design, escrito junto com Gláucia Centeno, pela Editora Estação das Letras e Cores.
Lembro da primeira vez que o Gilson entrou na redação do Jornal do Brasil e mostrou as mochilas de estofamento de carro, a bolsinha com perninhas de mola, que ele chamava de “estressada” . Já são mais de 20 anos de sucesso do nosso Homem-Bolsa, como ficou conhecido.
O novo livro será lancado na Primavera dos Livros, nos jardins do Museu da República, no dia 29, sábado que vem, das 17 às 19h.
Museu da República: Rua do Catete 153, Catete - RJ.
Tel: 21 2558-6350 ou 21 3235-2650

Gente e modas novas
Flavia Marques e Juliana Marçal lançam a marca Basthianna, já com o alto-verão prontíssimo (no Centro, no shopping Vertical, na rua Sete de Setembro, 48 / 4º piso e em Ipanema, no Ipanema 2000, rua Visconde de Pirajá, 547, 2º piso)

A coleção da La Vie en Rose traz novas idéias da linha de lingerie de alta costura. Rendas multicoloridas são destaques (av. Ataulfo de Paiva, esquina de José Linhares, 2º piso)


Heckel Verri chama para admirar (comprar e usar muito) a linha de festas e verão (em Ipanema, na Henrique Dumont, 68; na Barra, no Rio Design Barra)




Look do dia
Bem versátil, sem ser banal, o vestido em tencel estampado da Enjoy (R$ 249), com colares de correntes (R$ 49 cada). Para dia, com sandália de salto ou um peep-toe vermelho
Enjoy: shopping da Gávea

Wednesday, November 19, 2008





Metamorfose
Quem não gosta de mudar o visual, de vez em quando? Como a Renata Klem, a loura que cortou os cabelos curtinhos, e nesta foto está de cabelão castanho dourado e franja desfiada? O truque, claro, se chama peruca. Esta é da Fiszpan, empresa que celebra 75 anos agora, endereço de bijuterias, apliques, lenços, carteiras, óculos de sol. Também uma grife infalível nas produções de moda.
Durante esta semana de fotos de noivas, observando o Flavio Barrozo pentear uma das modelos, reparei na rapidez com que os cabelos ficavam longos. Eram os apliques da Fiszpan, com clipezinho! Basta um clic-clac , e estão presos nos fios originais, aumentando o volume da cabeleira! O máximo. Ainda brincamos com a modelo, avisando a ela que devia parar de beber tanto Pantene, para fazer crescer assim o cabelo.
Além destes apliques, há rabos-de-cavalo longos, que fazem o look dos desfiles de moda praia. Bom para o Ano Novo, com flores no local onde são presos na cabeça.
Vejam mais em www.fiszpan.com.br


É Natal!

O Barrashopping tem uma agenda de atrações natalinas no palco do New York City Center:

Sábado, dia 22 e Domingo, dia 23: Oficina de pintura em azulejos e oficina de colagem em mosaicos, (das 16 às 20h)

Sábado, 29 e Domingo, dia 30: oficina de enfeites de Natal e oficina de pintura de mandalas natalinas (das 16 às 20h)

Todos os domingos, até dia 30 de novembro, temtetatrinho infantil. No dia 23, é o Natall do Sítio, e no dia 30, Alice no País das Maravilhas

Aproveitem e participem do Natall Solidário, levando presentes para criancas carentes. Entregas no Concierge
Tem dúvidas de horário, local e programação? Ligue para o Call Center, 4003-4131






Vitrine

Apaixonadas pela linha Elsève, atenção: saiu a série Reparação Total 5, com tecnologia Bio-ceramida, que promete dar um jeito nos cabelos danificados. Que nós mesmas danificamos, óbvio, com tanto secador, chapinha, cremes, etc. Minha avó se tratava com xampú (assim mesmo, com X) Halo ou Aristolino, jogava vinagre depois, para dar brilho, saía linda, cheirando a salada, mas com cabelos bonitos, sem secador nem creme rinse.
Mas tem coisa melhor do que saber de um creminho novo, um alisador, uma escova inteligente? Depois, a gente passa um Elsève, para ficar igual à Grazi ou à Débora Nascimento. E acabamos com a quebra, ressecamento, opacidade, rigidez e pontas duplas, os cinco pontos fracos dos cabelos modernos.

Nos supermercados e farmácias, nos preços sugeridos: shampoo, R$ 5,50; condicionador, R$ 6,50; creme para pentear, R$ 6,90 e de tratamento, R$ 11,90.
SAC 0800 701 6992


Look do dia: calca branca, de gancho baixo, túnica frente-única com fios prata e cintão baixo, mais rasteirinha de dedo. Muitas pulseiras e um bolsão para as tralhas do dia-a-dia. Look da Agatha, para saidinhas de dia (almoço de amigas, cinema com amor, trabalho sem muitos deslocamentos).

Sites indicados:

www.carreirafashion.com.br

www.brchic.com

Sunday, November 16, 2008

Minas fez bonito


O Minas Trend Preview se deu bem, de acordo com os comentários recebidos. Além da competência das marcas mineiras, cheias de originalidade, há a versatilidade da organização de Eloysa Simão, que é mestra em costurar vários eventos em um só. Nesta terceira edição, apresentou o local Alphaville, em Belo Horizonte, recebeu compradores da França, Portugal, Austrália, Inglaterra e Angola, Alemanha, Áustria e Colômbia. Nas coleções, as bolsas foram destaques. No Oi Fashion Music, na abertura, 10 grifes desfilaram acompanhadas de bandas e cantores brasileiros. E mais: a Anglogold aproveitou o MTP para entregar os prêmios do Anglo Gold Auditions, para os designers de jóias, com apresentação de Gloria Maria e a nomeação de Priscila Fantin, vestida com um modelo de ouro, eleita a nova Golden Girl.
Ainda ficaram 50 candidatos a expositores, em fila de espera. O que para Robson Braga de Andrade, presidente da Fiemg (Federacão das Indústrias do Estado de Minas Gerais), exige a ampliação do evento nas próximas edições.

Os próximos Minas Trend Previews já estão agendados. A edição de Verão será de 28 de abril a 2 de maio de 2009 e a do Inverno 2010, de 3 a 7 de novembro de 2009.

Thursday, November 13, 2008

Antes tarde...





Por algum motivo tecnológico (a falha de conexão da Rio Orla, um pique na tomada barroca que descolei ao lado da sala de imprensa, uma desconectada no meu modem Tim), o comentário sobre a Cia. Marítima deixou de ser postado. Por um lado, até foi bom, porque deu para sacar como a grife tem adeptos, pelo menos entre os leitores deste site, porque recebi muitas reclamações.
Desculpem, e leiam hoje, quase uma semana depois.




Cia. Marítima, de túnica

fotos Ines Rozario

Mariana Adans e Patrizia Simonelli fazem o estilo, Benny Rosset lidera a Cia. Marítima. Vamos para o desfile sabendo que será mais uma marcha de tops louras e lindas, mecanicamente vestindo várias peças cada uma. Não pensem que hesito em ir, sentar em qualquer fila – outra característica da Cia, não estar nem aí para a imprensa de outros estados, fora de Sampa -, porque como a marca é ligada a um poderoso grupo têxtil, especializado em Lycra e arredores, há sempre uma inovação tecnológica incluída. Desta vez, é a malha Innovation, os fios tintos e os tecidos eco-tecnológicos, além do louvável fato da Rosset não usar água potável para fins industriais e ter conseguido reduzir a emissão de gases carbônicos e sulfurosos. Só isso, já obriga a admirar o trabalho da marca.
Só que desta vez – ó surpresa! -, em meio à marcha de tops como Fernanda Tavares, Geanne Albertoni e Isabeli Fontana, ao som de Roberto Carlos (gostei, é diferente) e na cenografia em preto da Daniela Thomas e do Felipe Tassara, surgiram túnicas e minivestidos em renda tecnológica, tipo guipure. Curtas, longas, brancas ou pretas, foram destaques cobiçáveis para os dias de sol ou as noites de festa.

Ah, em matéria de biquínis e maiôs, há correntes nas laterais dos biquínis, combinando com as pulseiras de prata do Guerrreiro, repetem-se as boas estampas estilo Pucci (por que não repetir, se são boas?) e bizarros biquínis de renda branca. Ainda estou acho que estes seriam melhores como lingerie. Agora, viram prévias da migração da calcinha e sutiã para o beachwear, estilo que deve pegar em uns três anos.
Foi um dos melhores desfiles da Companhia do Benny. E dos menos pretensiosos da carreira da marca. Os ares do Rio, a maresia do posto seis, sei lá, algo assim, fizeram bem.

Intervalo / assediado pelos fotógrafos e repórteres, na platéia, o lindão Murilo Rosa, marido da Fernanda Tavares / Benny, atenção a um detalhinho que cresce na luz da passarela. Algo está errado quando uma modelo passa o tempo todo segurando o maiô na passarela, para o decote não cair. Preferível retirar esta peça (não a modelo) da apresentação. Não me refiro à modeo que está de biquíni, na foto desta coluna / mais uma vez, muitos chapéus panamá entre os convidados e na equipe de apoio. Uma repórter perguntou à Betty Lago se era um chapéu de palha. Betty, que há anos enfeita e protege a cabeça com este tipo de acessório, respondeu, quase ofendida, “palha? o que é isso, menina? É panamá, feito à mão!” / O estilista Gustavo Lins, mineiro residente em Paris, estava adorando as férias no Rio e estar no Rio Summer. Mas confessou-se um pouco decepcionado com as coleções. Apesar de não ter visto todos os desfiles, até a tarde de sábado destacava apenas a Salinas e a Iódice. Ele quer mostrar sua moda no Brasil. O que já vi, vale a pena ver. É um dos precursores do Novo Minimalismo que voltou à moda internacional / E a Claro, que quase não aproveitou o fato de ser a patrocinadora do título do evento?

Wednesday, November 12, 2008

Programação Minas Trend Preview
Edição Outono/Inverno 2009

Começou hoje, terça-feira, o Minas Trend Preview, em Belo Horizonte. Ê vida doida, mal acabamos de ver o alto-verão no Rio, damos de cara com o inverno em BH! Bom demais da conta.

11 de novembro de 2008 (terça-feira)

20h00 Desfile e Abertura Oi Fashion Music (convite especial)Grande Teatro – Palácio das Artes


12 de novembro de 2008 (quarta-feira)


10h00 Abertura do Salão de Negócios Alphaville
15h00 Lançamento do caderno Perfil de Inspirações e Tendências Inverno 2009 – SENAI
Auditório Alphaville

19h00 Desfile Calçados, Bolsas e Acessórios (convite especial)Salão de Desfiles – Alphaville

20h00 Encerramento do Salão de Negócios / Alphaville

20h30 Premiação AngloGold Auditions (convite especial)Alphaville

22h00 Encerramento dos Lounges e Áreas de Convivência / Alphaville

13 de novembro de 2008 (quinta-feira)



10h00 Abertura do Salão de Negócios (Alphaville)

15h00 Palestra Preview Primavera Verão 2009/2010/ Ellen Massucci Leite - Núcleo de Moda ABIT (Alphaville)

17h00 Palestra Ecotendências / Lilian Pacce (Auditório Alphaville)

19h00 Desfile Didático (convite especial) Salão de Desfiles – Alphaville

20h00 Encerramento do Salão de Negócios (Alphaville)

22h00 Encerramento dos Lounges e Áreas de Convivência (Alphaville)


14 de novembro de 2008 (sexta-feira)



10h00 Abertura do Salão de Negócios (Alphaville)

15h00 Desfile Calçados, Bolsas e Acessórios (convite especial)(Alphaville)

17h00 O Mercado de Consumo e as Tendências do Inverno 2009/2010 Christine Boland
Auditório Alphaville

19h00 Desfile Didático (convite especial)Salão de Desfiles – Alphaville

20h00 Encerramento do Salão de Negócios Alphaville

22h00 Encerramento dos Lounges e Áreas de Convivência Alphaville

15 de novembro de 2008 (sábado)



10h00 Abertura do Salão de Negócios Alphaville

11h00 Desfile Didático (convite especial) Salão de Desfiles – Alphaville

15h00 Lançamento do Caderno Preview de Design de Jóias Regina Machado
Auditório Alphaville

17h00 Encerramento do Salão de Negócios Alphaville

Sunday, November 09, 2008

Lenny e Oskar

Tenho na memória alguns desfiles memoráveis. O primeiro que vi, do Valentino, na Fenit, na década de 60; um de guarda-chuvas abertos do José Augusto Bicalho, em um Janeiro Fashion Show. Outro do Georges Henri, no show-room no alto de um prédio na rua Siqueira Campos, um do Fause Haten no Mube. Um Ocimar Versolato, já quase fora de Paris, na embaixada brasileira. Muitos da Dior, na maison, sentada na escada; na estação de Austerlitz, na Ópera de Paris. Um Gaultier com inspiração na Frida Kahlo, um Saint-Laurent, de odaliscas, um Claude Montana com Betty Lago correndo na abertura. O primeiro, da Comme des Garçons; o último, do Kenzo com o Kenzo; o primeiro, do Kenzo com Antonio Marras. O primeiro da Forum, no Copa, que lançou o estilo destroy belga no Brasil.
São muitos, e a lista ganha mais este final do Claro Rio Summer, em que Oskar Metsavaht e Lenny Niemeyer arrasaram desde a ambientação na tenda na praia de Ipanema, até as coleções. Oskar, com o estilo cool de Ipanema, que muita gente talvez não se ligue, porque nunca prestou atenção nos dias de céu branco, chuvinha de tarde, as calçadas em preto e branco, a silhueta negra do Dois Irmãos. Em cinza, preto e branco, as vitrines da Osklen vão mostrar duas-peças drapeados com capuz, cardigãs listrados abertos nas costas, macacões de malha largões para os homens, uma continuação do inverno. Lenny desenvolveu ainda mais os drapeados nos biquínis, agora com calcinhas bem menores. Tem que ver, para avaliar a perfeição da textura das malhas caiadas de branco, as estampas de bambus e a proporção dos amarrados.

Foi o próprio final feliz. E fui.

Saturday, November 08, 2008

Raia de Goeye




Raia de Goeye, elas mesmas

Saiões, calções, tunicões, tudo amplo, mas sexy. É a fórmula eterna da Raia, precursora dos volumes na moda brasileira. Mas são volumes com fendas e aberturas, agora enriquecidos por continhas metáliocas nos debruns. Gazes, algodões, linhos e texturas de folhas e flores dão uma variada em relacão aos brancos e listrados de sempre. A marca tem estilo e tem seu público. Mais um glamour casual, soltão e feminino.
O batuque do Zero fez um fundo sofisticado para o visual.

Intervalo / seguinte, primeiro uma piada. O pobre do Valentino ganhou apelido: Cenoura e Bronze / depois, um boato: no final da Raia, Nizan recebeu Paulo Borges, em clima de “leva pra você”. Pode ser só impressão / Nizan já anunciou que a próxima edição está toda patrocinada. Será que vai ser alto-inverno? / terça-feira tem evento de moda beneficente organizado pelo Marcelo Borges, no barco Pink Fleet / também começa o Minas Trend Preview, em Belo Horizonte / depois, o Brasilia Fashion Festival
Triya, no começo

Elas são queridas em Sampa, mas estão no começo. Falta algo para arrematar a imagem destes biquínis e maiôs coloridos, com estampados quase-psicodélicos, cheios de pássaros de pescoços compridos. Nem que seja uma coordenação de entradas na passarela, uma limpeza nos looks, reduzir a importância dos acessórios. Ok, eles são lindos, baitas pulseiras e brincos, bolsas variadas, em tecido. Mas ofuscam as pequenas peças de praia.
É uma questão das sócias verem a gravação do desfile, com olhos de quem procura o que usar no verão, na praia, na piscina ou no iate. Prestem atenção, Isabela, Bebel e Carla (é o simpático trio da marca): ajam com isenção e vejam se não dá vontade de escolher uma bolsa com estampa de pássaros.

Intervalo / tem uma coisa que me conquista: ver que em geral as estilistas da moda praia são...gordinhas / outra, que repito sempre: gosto das roupas que os autores vestem, e aparecem nos agradecimentos. Claro que isto não se refere às maravilhosas fantasias do John Galliano / Amir Slama, bem humorado, quando comentei que ele é precursor nesta moda praia cheia de recortes. “Pois é, agora que parei de fazer, todo mundo está fazendo. E eu que não vendo...”/ entre as muitas bolsas e sacolas de brinde, destaque para a pen drive de 2G dos Correios
Jo de Mer, bem-vinda

Enfim, brota uma nova marca de moda praia. A Jo de Mer arrasou com biquínis e maiôs neste esquema da Praia Alterada. Quem freqüenta o seminário e compra o livro de tendências do Senac Rio lembra que esta era uma das previsões mais importantes, a roupa de praia que extrapola areias, ondas e piscinas, e serve para dar pinta em festas de verão e substitui a lingerie, no caso das túnicas transparentes que também entram em voga. Botou o vestidão longo, por cima de uma biquíni, e está pronta para os badalos.
O estilo da Amalia Spinardi tem o que vestir, com conforto. Maiôs e biquínis em medidas certas, sem exageros; enfeites simples, como as argolas quadradas nas laterais; ou luxuosos, como as faixas elásticas douradas que contornam, arrematam decotes e marcam a cintura. Poucas estampas, com exceção das oncinhas e de um estilo jacquard, mas muitas cores bonitas. Como o coral alaranjado, o roxo, verdes claros, laranja e o bege-pele, opção par as transparências.
Vamos ver onde vende a Jo de Mer por aqui, no Rio. Em Sampa, certamente está na Daslu.

Intervalo / Kika confirma: Madonna é a nova musa da Louis Vuitton / hummm...inaugurou um Pizza Hut na Francisco Otaviano, pertinho do Forte. Delícia, o penne à brasileira e a sobremesa do cardápio infantil. Assim, não dá para testar os maiôs da Jo de Mer...

Friday, November 07, 2008

Isabela Capeto, única

Peças únicas, uma dúzia e olhe lá, foi o que a turma que conseguiu entrar na butique da Dias Ferreira acabou vendo. Quem entrava, demorava a sair, porque ficava analisando cada babadinho, cada miçanguinha dourada dos vestidos cheios de babados e recortes, em cores degradês bem fortes. Única também era a modelo, a lindinha Fernanda Tavares, que surgia da cabine com os modelos no corpo.
O espaço da loja foi renovado pelo Allberto Renault, com muitas plantas e folhas de ficus espalhadas pelo chão. Os vestidos estavam pendurados em varal em uma parede, os acessórios nas vitrines de um móvel-balcão, como o maiô todo de babadinhos, os brincos de biscoitos globo dourados, idéia impagável. É usável? É bonito o trabalho da Capeto? O mínimo que se pode dizer é que original, com um jeito espanholado, nos tules tinturados e meio gastos, com aspecto vintage.
Do lado de fora, a festa reunia uma roda de samba, carrocinhas de pipocas e muita gente se espremendo para entrar.

Intervalo / quem está com uma cara feliz é o Gustavo Lins, o brasileiro admitido na Alta Costura parisiense. Vai a tudo e se diverte muito / outro pimpão é o Cacá de Souza. Hoje estava todo de rosa, recebendo as modelos visitantes. Vodianovas & cia, que estranhamente não pisaram nas passarelas (ainda). Será que ninguém quis incluir no casting?
Tótem mandou bem

Duplo deque estreitinho, para as belas passaremp; música ótima, com o Junio Barreto, do tipo que se ouve, gosta e não se sente perturbada, desfocada para ver as modas. Brincões baseados a pedido do Fred d’Orey, líder da Tótem, naquelas árvorezinhas de arame que os turistas compram, por causa das pedras semipreciosas nos galhos. Bolsas, pochetes e mochilas em crochê de linhas rústicas, botinhas femininas, derivadas das cowboys. Até os acessórios impressionaram bem, no que deve ter sido o melhor desfile da marca. Para as mulheres, estampas de mandalas ou círculos decorados, saia-calça, biquínis franzidos e vestidos de ombros à mostra. Para os caras, ótimas composições de saharienne branca, com bermuda ou de paletó amarelo com calça estampada. Só estes dois looks valiam toda a apresentação.
As jóias-bijuterias eram da Francesca Romana Diana, uma craque.

Intervalo / não conhecia este cantor, o Junio Barreto. Segundo o programa, é meio underground. Vai ficar pouco tempo escondido, o cara é bom / na fila A, a Deborah Secco, de longo preto, bonita / não sei por que, mas nunca sobra tempo para visitar os espaços dos patrocinadores. Fico até curiosa para saber que acontece naquelas tendas da Philips, da L’Oréal. Mas quando vejo, o evento acabou e só vi o Citroen C4, de câmbio automático, uma delícia
Rosa Chá, na água

Mais uma série de luxo, assinada pelo Amir Slama, precursor dos biquínis e maiôs com recortes (alguém lembra do biquíni com uma abertura no bumbum, vestido pela Raquel Zimmermann, há tempos?), desta vez desfilada sobre um espelho d’água, em vez de qualquer tipo de passarela. Ao som da voz suave de Katia Bronstein, que agora virou Katia B., passaram as tiras cruzadas e tramadas formando biquínis e maiôs de difícil arquitetura, os estampados inspirados na obra de Gonçalo Ivo, os azuis-jeans de profundos decotes em V, ou com mangas, entalhes rendados e aplicações de cristais Swarovski no mesmo tom. Muito, muito cristal. Recortes ondulantes, alternaram bordados e transparências de rendas em rosa, também cobertas de cristais.
Mais uma versão do caminho luxuoso e versátil que a moda praia está tomando. E se a Rosa Chá faz, deve virar tendência.

Intervalo / certíssimo o show da Katia B. com repertório escolhido com o Zé Pedro. Sem interromper nem atrasar o desfile, ela cantou músicas da Madonna / não agüento mais ouvir o Everybody loves Rio da abertura das salas. Ainda pior, no volume 200 / um dos brindes mais práticos, o kit de camisa pólo dos Correios com uma pendrive de 1 giga / Sabiam qual é a maior empresa têxtil do Mundo? A Coteminas.
Iódice al mare, de novo

Em preto, azul e branco, muito azul em estampas e tecidos amassados, provavelmente metalizados, e o coral dos jardins submarinos, a Iódice deu provas de coerência, alongando o conceito de Atlântica da coleção vista para o verão, em São Paulo. Estampas com baleias mergulhando, calças com modelagem de sereias e os retorcidos dos vestidos curtos foram pretextos para a mensagem principal do alto-verão: muita transparência à vista.
Gostei do uso do neoprene em tops brancos, de corte quadrado. Ficou chique, sem vestígio de surfe.
Valdemar Iódice é um dos profissionais mais estáveis do mundo das grifes, e tem saído do gênero que vende muito, mas ninguém considera cult. É preciso prestar atenção no que ele faz, ainda que sempre tenha feito muito bem. Lembro de grandes desfiles em jeans, nos primeiros tempos da semana de São Paulo.

Intervalo / Ruddy e Betty Lago, na platéia da Iódice / aliás, tenho que dizer que é uma das mais confortáveis, no formato arquibancada, em que já sentei. Há espaço para bundas que não são de modelos, e um almofadinha circular embutida para cada convidado. Melhor, só com cadeiras individuais / bacana mesmo, a luminária em forma de Cristo Redentor na plataforma acima dos fotógrafos
Cris Barros, florida
A própria Cris é a melhor musa da sua grife, toda bonitinha e sorridente, quando agradeceu aos aplausos no final do desfile na tenda amarela. Aliás, apesar de grandes demais para a moda praia ou para sacar franzidinhos e estampinhas, as tendas têm particularidades interessantes: em lugar de vastos e caros cenários, uma tela de led mostra as imagens coerentes com a coleção. No caso da Cris, eram lances de Carnavais antigos, da orla nos anos 50. Outro detalhe das tendas, a imagem do Cristo Redentor usada como luminária, sobre o tablado dos fotógrafos. É sempre bom pedir uma proteção...
Os vestidos foram os destaques, muito veranis, nas estampas de flores aquareladas, com alças fininhas e barras de babados ou tiras enviesadas ao longo da silhueta. Florões manchados em azul, rosa ou lilazes deram o ar de alto-verão. Mais: listrados em calças de alfaiataria – nem comento as calças de gancho baixo, pouco a ver com o estilo -, longos tipo camisola ou ajustados, sempre com saias dançantes. E os brancos, lindinhos, curtinhos ou longos, com corte alto e entalhes de renda, nervuras, palas nos quadris, enfim, detalhinhos femininos. Ok, não é advanced, trendy, conceitual. Mas é bonito, o estilo da Cris

Intervalo / na fila A, Gloria Maria, Deborah Bloch, Marina Lima, Fernanda Torres / e estão circulando também pelo Forte o povo de fila A internacional. Já vi o Hamish Bowles, do masculino europeu da Vogue America e a Hillary Alexander, do Daily Telegraph. Estão adorando tudo. Até corte de cabelo no quarto (do Fasano, diga-se de passagem) estão ganhando, além da Eggo, a minimáquina de lavar da Brastemp, própria para lavar calcinhas e biquínis. Não tem que achar ótimo, tudo, mesmo que o sol se esconda?
284, legal (quer dizer, bacana)

Então, a moda feita pela turma composta por duas filhas e um filho da Eliana Tranchesi e a filha da Donata Meirelles, ambas mães e donas da Daslu, é feita por gente de São Paulo. Desfilou na The Week, passando das 23 horas – coisa de paulista, que acha que o Rio tem hábito de freqüentar estes lugares a qualquer momento. E assim como a Daslu-mãe, a 284 tem o charme irresistível das coisas simples. Minivestidos pretos ou com estampa de cubos, muitas polos para os meninos, calças jeans retas ou slim, bonitonas, camisetas com ditos como “Obama rocks”, enfim, um ar urbano, jovem e sem complicações. Desde que se tenha o cabelão longo e liso, talvez com algumas mechinhas coloridas (rosa, vermelho), um óculos escuros instalado no rosto e um bom salto alto, melhor ainda se for dourado, está garantido o look 284 (este era o número da primeira Daslu na rua Domingos Leme). Um look que passa incólume pelos integrantes do Parkour, na passarela. Ou pelo dia-a-dia de sonho das patricinhas brasileiras.

Intervalo / gente, e a chuva na saída da The Week? / uma pena, porque muita gente desanimou de ir à festa da La Stampa, na Ilha Fiscal / os salgadinhos do Miele eram do Écio Cordeiro de Mello, e da 284, do Aquim / na novela, a Vera Holz usa os colares da Claudia Duarte

Thursday, November 06, 2008




Blue Man, ao longe


A sala grandona, espaçosa, não é ideal para apreciar moda praia. Pecinhas, estampas pequenas, detalhes de biquinis somem no meio do salão. Foi o que aconteceu com a Blue Man, tão bonita com a inspiração no Caminho do Ouro. Mesmo quem estava na fila A, com direito a almofadinha e bolsão de lona com bolsinha recheada de absorvente Intimo, teve que apertar os olhos para enxergar os detalhes dos biquínis, entender as transparências dos maiôs e descobrir as laçadas tiradas dos espartilhos antigos. Mais visíveis foram as flores de chita e as combinações de listrados de Debret e os azulejos portugueses. Nas sungas, grandes, repete-se o mesmo efeito de transparências em recortes.
O elenco reuniu as belas Fernanda Tavares, Ana Claudia Michels, e o belo André Rezende, de volta à passarela. Nos acessórios, a graça de mostrar tamancões de tiras transparentes com solado acompanhando o colorido das estampas.

Intervalo / a sala de imprensa é pequena, mas tem uma vista bonita, da orla de Copa. Poucos lugares, nem quem chega com notebook próprio consegue um espacinho. Ou uma tomadinha, preciosidade nestas horas / uma ventania do sudoeste afastou as nuvens pesadas que ameaçavam temporal. Caiu uma chuvinha, e só. Isto é importante em evento ao ar livre, ou em tendas no alto de um morro / alguns atrasos começam a complicar avida de quem tem horário de redação / na platéia da Blue Man, dona Sol Azulay, mãe do David, e Julio Abulafia, ex-sócio do Simon na Yes, Brazil / na fila A, Deborah Bloch, tão chique quanto a filha adolescente, vestida como menina de classe /


Salinas, com cheiro de maresia
Bom, a Salinas se deu melhor em matéria de visibilidade porque seus modelos eram mais lisos, sem tantos detalhes. E muito fofos, com acessórios feitos de pauzinhos de picolé, pompons e pirulitos multicoloridos. Alças duplas, sobreposição de tule listrado sobre biquíni em Lycra e a boa para a turma que não tem 1,80m nem veste 40: o maiô-camiseta, soltinho! Já pensaram, que ótimo, nada apertado, nada de cintura fina, ôba.
As sandálias plásticas ficaram lindas com os pompons nas mesmas cores. Fiquei até na dúvida se preferia uma laranja ou preta...
Jaqueline di Biase, ex-modelo e autêntica menina de praia lembrou dos mergulhos na infância, da chuva no fim de tarde e da sensação de chegar em casa para tomar banho e tirar a água salgada. Ô delícia, tinha até esquecido destes lances.


Intervalo / muitas perguntas no ar, em volta, a cada intervalo. Os jornalistas cariocas estão chateados porque acham que os paulistas são mais bem atendidos? Será que vai dar certo?
Os jornalistas paulistas estão chateados porque há mais atenção para os jornalistas estrangeiros? Você está na fila A? Só falta: de onde viemos, para onde vamos? Bizarro, não é? Afinal, é um evento igual a todos os outros, depende da repercussão de mídia e de vendas (nisto, acredito menos), e vamos em frente. Só tem um detalhe, que noto agora: contribui para esvaziar os eventos que viriam em seguida, nos outros estados. Centraliza a projeção de moda no eixo Rio-São Paulo, muito à frente dos outros points que lutam para serem lançadores.

Adriana Degreas, ainda falta
É até covardia botar a Adriana logo depois da Salinas e da Blue Man. De repente, na passarela de veludo no Copa ficou tudo pesado. Os maiôs pretos, com texturas acetinadas, entalhes transparentes, cintos e flores ainda convencem sob o pretexto da praia-couture. Os estampados de leopardo, ok, já que era um revival dos anos 60, década das panteras colunáveis. Mas fica difícil imaginar em uso os maiôs e vestidos curtos, túnicas e ponchos de renda aplicada preta. Ou os dourados do final. As estampas com fotos em sépia da construção do Copa ainda têm seu lugar, o longo com a foto de Carmen Mayrink Veiga é simpático pelo carinho.
Mas o show com Bebel Gilberto foi longo demais, atrasou a passarela. A coleção podia ser cortada em um terço, para aumentar o impacto. Enfim, foi uma estréia em território carioca. A próxima deve ser melhor.

Intervalo / são 23h23 e ainda estamos esperando pela performance da 284 no galpão da The Week

Claro Rio Summer

Claro Rio Summer

Carlos Miele
Parecia que a orla de Copacabana, com direito a Pão de Açúcar encoberto pela névoa branca, seria a estrela da abertura do evento no Forte. Mas acabou aparecendo um sozinho, esquentou e tudo deu certo, como sempre. Valeu a espera (pouca, meia horinha, que é normal no mundo inteiro), porque Miele mostrou uma coleção impecável, sem perdas de estilo nem pretensões conceituais demais. Teve desde os vestidos longos com drapeados acima da cintura, até shorts em dark jeans, com blazers sem mangas, de botões dourados; casacos de crochê cor de areia com barras bordadas, vestidos com fuxicos na barra, simples e jovens, pelo comprimento curto.
A rapaziada ganha uma opção de estilo inovador, ao mesmo tempo quase clássico, baseado no eterno jeitão navy: calças e bermudas brancas, tricôs e blusões listrados, tênis iate marinho ou brancos.
O som do Afro Reggae foi a concessão ao estilo performático do Miele. Confesso que esperava mais show, mas entendo que há um certo medo das organizações do grotesco, do esquisito. Bobagem, gente, o Miele sempre soube unir arte, de uma forma original, à moda. Mas ficou bom.


Miele com a Tetê Leal, da Coopa Roca. A Tetê assumiu os cabelos brancos. " Me libertei!" disse.

Intervalo / Nizan Guanaes nervoso, fumava direto, sapatos vermelhos de cadarços desamarrados. Depois do belo desfile, acalmou (um pouquinho) / Isabeli Fontana cortou os cabelos no camarim, segundo Marina Sprogis, que veio de Paris para as fotos, e estava perto / na platéia, predomina a bolsa Chanel. / Kika Gama Lobo descolou um guarda-chuva de estampa de girassóis / Rosa Chá vai desfilar na água / e Bebel Gilberto estará ao vivo na Adriana Degreas, logo mais / A Coopa Roca deve trabalhar com um estilista frances em 2009


Olha o cara do the sartorialist, um dos blogs de mais influência. Todo de bermudão e camisa, na maior

Claro Rio Summer / prévia

Gosto de conferir o estilo dos convites que chegam para os desfiles. Por enquanto, o maior é do Carlos Miele, uma visão em azul que parece ser de uma varanda para um coqueiral. Antes do desfile, além das novidades – o lançamento da moda masculina e da nova roupa casual -, Miele apresenta o projeto da nova sede da Coopa Roca, parceira há muitos anos do estilista.





A 284, formada pela terceira geração da Daslu, fez o convite em forma de estojo de óculos de sol, e aproveitou bem o espaço, incuindo a ficha técnica do desfile, que será na The Week. A stylist é Letícia Toniazzo, a beleza fica por conta do ótimo Ricardo dos Anjos; a trilha é do Max Blum e o conceito geral, do Pazetto. No meio do show, os puladores do Parkour, que já se apresentaram na passarela da AdPac, no Rio Moda Hype.

A Rosa Chá traz um cartão verde com recortes que remetem a um lance arquitetônico. Amir Slama também teve uma boa idéia, uniu-se à Finn (dos adoçantes) e gravou um CD de bossa nova, com seleção do Zé Pedro.

Dentro do cartão da Totem também há um disco de papel, imitando os de vinil, dos tempos idos dos anos 60. Na capa do disco, as letras são em tons de coral e beges, e há a afirmação de que a Tótem é uma marca que pensa.

Da moda praia carioca, chegaram os convites da Blue Man, com uma árvore saindo de um tom amarelado e letras art-deco em roxo, ocre e magenta. E da Salinas, bem praiano, um simples saquinho igual ao do biscoito Globo

E pelo jeito, ainda bem que os deslocamentos serão poucos, a maior parte dos desfiles fica na grande tenda do Forte de Copacabana. Porque a julgar pelos textos dos convites, não haverá transporte próprio para convidados que precisam assistir a todos os desfiles, principalmente da imprensa. Há um conselho em todos os cartões: vá de taxi.

Fotos Ines Rozario

Wednesday, November 05, 2008





Vamos lá, enfim, ao Claro Rio Summer! Começa hoje, quarta-feira, já arrasando, com um show do Caetano, no hotel Fasano. E a moda, onde fica? Ah, aguardem amanhã, com o Miele abrindo os trabalhos no alto do Forte de Copacabana. Se der sol, será ao ar livre. Se chover ou ventar, como tem acontecido, o plano B leva a restrita platéia de 200 pessoas para a tenda bem protegida das intempéries.

Mas a festa já começou, e não acaba tão cedo. O Michael Roberts lotou a livraria da Travessa, no shopping Leblon (ao lado, uma das ilustrações do livro). Lá estavam Walter Rosa, Vicente de Paulo, Claudio Parreiras, Cristina Pitanguy, Gustavo Lins, Patricia Brandão, Marcelo Borges, Beth Bricio, Lala Guimarães, Claudio Gomes, todos querendo seu autógrafo no livro do Michael, Fashion Victims. São os belos desenhos do editor de moda da Vanity Fair, e poemas sobre moda, em inglês. Atencão: em ingles, e a turma estava lá, firme, disposta a passar o cartão com os R$ 75,90 do livro.



E depois que as tendas do Forte estiverem desmontadas, a paisagem dos Dois Irmãos ainda atrai no convite da Sara Jóias para o lançamento do relógio Graham, no bar Baretto Londra, no hotel Fasano, às 20 horas do dia 18 de novembro.
O mais incrível, como a Torre Eiffel ou o Empire State, é que esta visão do Dois Irmãos não enjôa nem cansa. Cada dia, é diferente.

Saturday, November 01, 2008



Ipanema do Oskar

Este perfil muito design é assinado pelo Oskar Metsavaht. Há um ano, o projeto desta sandália Ipanema vem rolando entre ele e a Grendene, e agora enfim sai para o verão. A Osklen já tinha um ótimo chinelo, reinterpretado de um comprado na base do improviso ou da necessidade durante uma das viagens de esportes e aventura, pelas bandas da Tailândia e vizinhanças. Super-macio, um shape largo, uma delícia.
Esta Ipanema é muito parecida, e deve atingir uma escala maior de consumo, já que é produzida pelo poderio industrial da Grendene. Mas por enquanto, só está à vendas nas Osklens do Brasil e do mundo (Nova York, Toquio, Milão, Roma, Cascais, Lisboa e Porto), aqui por R$ 39. A partir de fevereiro, a distribuição fica por conta da Grendene.
Só que a Ipanema faz parte de um projeto de reposicionamento (sempre que ouço esta palavra lembro do aeroporto de Congonhas, onde os aviões vivem sendo reposicionados) da marca. Portanto, será um pouco raridade, do tipo que dificilmente estará pendurada na porta de uma quitanda.


Quem levou

Pelo jeito, demos sorte: a Maria Bonita, cuja foto publicamos na prévia da festa, levou o prêmio de melhor desfile na noite do Prêmio Moda Brasil. Parabéns, Daniela Thomas, Malba Paiva e Alexandre Aquino.

Estes foram os premiados:
Estilista moda feminina: Reinaldo Lourenço
Estilista moda masculina: Alexandre Herchcovitch
Moda praia: Lenny Niemeyer
Acessórios: Francesca Giobbi
Modelo feminino: Raquel Zimmermann
Estilista revelação: Henrique Gonçalves, da R. Groove
Campanha publicitária: Oskar Metsavaht (inverno 2008)
Homenagens: Francisco Costa e Dalma Callado
Stylist: Felipe Veloso
Desfile: Maria Bonita
Maquilagem: Duda Molinos
Cabelos: Max Weber
Fotógrafo: Bob Wolfenson
Modelo masculino: Leo Peixoto
Figurinista: Marilia Carneiro e Karla Monteiro
Veículo impresso: Vogue
Veículo eletrônico: Chic
Programa de TV: GNT Fashion
Jornalista de moda: Gloria Kalil

O júri contou com nomes como Costanza Pascolato, Paulo Borges, Regina Guerreiro, Gloria Kalil, Lilian Pacce, Patricia Carta, Lula Rodrigues