Thursday, July 17, 2008




Simm 60, uma feira de brasileiros

Já vi muita feira com brasileiros participando. Mas esta parece promissora, mesmo com o reconhecimento unânime de que há uma crise internacional no ar. Como nossos maiores compradores são a Argentina e os Estados Unidos, bobagem trabalhar com a idéia de crise, tiramos de letra. Na gigantesca feira de Madri, que homenageia o Brasil, nossos bravos profissionais mostram suas coleções e mesmo neste primeiro dia, celebraram boas vendas. Por exemplo, a Marcia Ganem, verdadeiro ícone da SIMM (há quase 3 anos não perde uma), mal abriu seu espaço, recebeu lojistas da Grécia, com ímpeto comprador. Um comprador de Barcelona, muito atacado, impedia a proprietária do algodão colorido da Paraíba de responder minhas perguntas.

longos da Comini Fasano e Ana Torres





Quer dizer, há vendas. Houve também um desfile, produzida pela paulistana Geisa Gabriel, que também assinou a ótima trilha de músicas brasileiras (que atraíram uma pequena multidão em torno da passarela). Por que usamos tão pouco nossas músicas nos desfiles de Rio e São Paulo? O elenco era espanhol, mas tentava caminhar com uma suposta malemolência carioca.
Dos grupos de expositores, destaque para uma seleção feita pelo Sebrae RJ, com pessoal da cidade do Rio de Janeiro e de Niterói. Gente boa, dividindo o espaço com Allethéa Mattos e Lorena Sender, outras duas brasileiras que estão morando na Espanha. Entre os avulsos, Marcia Ganem, sozinha e muito feliz, prometendo roupas com citrinos e ametistas na próxima coleção; Comini Fasano, outra veterana na SIMM, com longos lindos, feitos com rosas montadas em viés de cetim, tipo obras-primas.

Flores da La Dumaux

Nos acessórios, dois destaques: Suzana Rodrigues, com colares de chifre e coco, e Luisa Herculano, que já vende para a Area, Totem, Richards, Enjoy e New Order, e se lança como marca própria, com colares de fios de algodão trançados.
Claro que seria ideal ter espaços individuais. Óbvio que a moda praia brasileira está sendo um reforço para o salão ser reconhecido como lançador do setor. Mas que pelo menos neste primeiro dia há uma impressão de trabalho bem-feito, é inegável.

Intervalo / só se fala do Rio Summer, evento do Nizan Guanaes no Rio, em novembro. Ninguém sabe exatamente quem participa, quem será convidado, mas já está muito comentado / o Fashion Business deve ter uma seleção presente no salão do Prêt-à-porter de Paris, já-já, em setembro. Acordo recém-fechado entre o salão e a Firjan / almoço de hoje: paella, naturalmente. Eu, que não como frutos do mar, reconheço que estava boa. Muito boa / a princesa das Astúrias circulou na feira. Maaaagra, de vestido verde. Impossível me aproximar para saber de onde era o vestido, porque havia uma legião de seguranças. Também fiquei em dúvida se tinha que fazer reverência, cortesia, estas poses protocolares...