Friday, May 30, 2008



                                                                      A cartela do verão, no final do Rober Dognani

Casa dos Criadores 23

Segundo dia

Acontece: o primeiro dia é glorioso, ficam todos animados. E no segundo, dá uma piorada. Talvez o tempo dedicado ao Projeto Lab devesse ser menor, já que eles são novinhos, sem experiência, sem saber conquistar a platéia. Porque desfile tem disso, a roupa pode ser deslumbrante, feita para uso imediato. Mas tem que haver um sei-lá-o-quê na passarela. Como em um espetáculo de teatro, um bom figurino não resolve a performance toda.
Sintoma desta impressão do segundo dia é o fato de todos saírem com a sensação que passava de meia-noite, no final. Nem tanto, era pouco mais das 11.
Isto é normal, acontece. Vamos ao que vimos:

Projeto Lab


João Elias
Cores de frutas, melão, caqui, limão, em vestidos soltos, com entalhes curvos nas mangas e decotes. Um lado com alça, outro lado com manga, um exemplo de assimetria. Algumas faixas listradas arrematam as saias.
João tem boas idéias, mas algo acontece na costura, principalmente na aplicação das tiras em curva. Talvez falta de ferro, ou de máquina apropriada, que evite os franzidinhos.
O melhor: biquíni com tiras curvas assimétricas na calcinha



Tony Jr.
Muito tule magenta, flores no mesmo material aplicadas em vestidos. Um bom vestido branco, quase reto, com cinto metalizado. Babados generalizados, que ficam um tanto gratuitos nas camisetas masculinas. Sabem, quando nota-se que os modelos não vestiram a camisa? (na linguagem figurada, claro).
O melhor: a série de vestidinhos pretos, com babados de todos os jeitos, enviesados nas laterais, com recortes, etc. E o visual de beleza


Márya Nasser
Estampa de folhas em preto e branco em vestidos, com barras estampadas mullticoloridas, com anáguas antigas, adereços com pedras aplicadas (aparentemente, naturais ou de resina), macaquinho roxo, vestido tomara-que-caia em tie-dye flamejante. Faltou coordenação, harmonia no conjunto.
O melhor: o vestido em degradê do cinza ao amarelo, com abotoamento deslocado para o lado


Der Metropol
A dupla Luciana Campos e Mario Francisco não é exatamente estreante em moda, já que os dois se conheceram nas aulas do Senac, já trabalharam em marcas como a Huis Clos, Le Lis Blanc, TNG. Apaixonados pela construção da roupa, montaram, sob inspiração no universo do lenhador canadense, a coleção cheia de recortes e entalhes que justificam outra paixão comum, a mistura de tecidos. Do lenhador tradicional sobraram os xadrezes eventuais em pedacinhos de casacos e bermudas, e as estampas localizadas de ursos e raposas nas camisetas. E mais, a estampa digital igual à madeira, tanto em detalhes como no macacão masculino
O melhor: o conjunto coerente com a história que eles queriam contar. Mas o desfile podia ser mais curto


Clarissa Lorenz
Esta menina que diz ir à missa todos os dias, em algum lugar, foi uma das mais ousadas na criação. E das mais promissoras, já que mostrou biquínis de tule cinza, com sutiãs drapeados, lindos quimonos no mesmo tecido, com bordados nas mangas. Ou tiras de renda branca, formando calcinhas e sutiãs. Pode ser lingerie ou um caminho ousado para a moda praia
O melhor: quimono com bordado em um lado das costas



R. Rosner
Repuxados, franzidos, pregueados, uma verdadeira profusão de vestidos curtos, de festa, alguns com informação demais, outros, plumosos em excesso. E muitos fios esvoaçando pela passarela do shopping Frei Caneca. Quem vê, até hesita: será de propósito, um resultado do corte direto? Ou falta de acabamento mesmo?
O melhor: vestido branco, com transparência, como um fourreau clássico.

Aqui, acabou o Projeto Lab. Longo, não? Podia ser dividido em dois dias.

P’tit
O quarteto Anna O, Carol Marinoni, Heloisa Faria e Leonardo Negrão pesquisa tecidos antigos pelo mundo. Quem não sabia desta característica da marca pode ter achado desconexa a coleção quase de peças únicas. E pior ainda, se não sabia do conceito cabeça, que envolvia México, a espiritualidade e a Caverna de Platão. De objetivo, destacou-se o look da modelo que devia ser uma alma em busca de um corpo, que seguia as outras meninas, vestindo uma calça volumosa, estreita na barra e um colete de crochê cinza, o vestido feito com uma antiga saia plissada, com pala de guipure preta, as camisas. Sempre com os cabelos em tranças circulares, o make dourado e os olhos contornados de amarelo, pela vibrante Andréia Costa, que em 20 minutos deixava cada menina com carinha de Frida Kahlo luminosa.
O melhor: longe, disparado, os dois modelos feitos com camisolas de seda, antigas.


Rober Dognani
Driele Valeretto, modelo da Prada, abriu com mini roxo, de mangões, a série de vestidos em tons de alta-costura (rosa, verde, vermelho, turquesa), repletos de franzidos assimétricos em tiras, frufrus e grandes golas enfeitando o rosto.
O melhor: o conjunto, pelo colorido, o brilho dos tecidos e os sapatos altos, com amarração de sapatilha de balé


Athria Gomes
De vez em quando acho que deveria voltar a apresentadora de desfile. Uma senhora que ficava no cantinho da passarela, dizendo o número do modelo e alguns detalhes da criação. Sei que isto era comum nos primórdios da alta-costura, há uns dois anos assisti a um desfile da Torrente, em Paris, com esta apresentadora. Deu sono, porque era de manhã cedo, e a voz era monótona. Mas seria bom ter algo assim na Athria, para todos entenderem a graça da roupa baseada em fantasias de velhos carnavais. Como a calça e camisa de estampa de losangos, dos arlequins; o vestido vermelho de poás, das espanholas, a melindrosa de franjinhas, o minivestido listrado com caveira, dos piratas e os longos verdes, das gregas. Tudo ao som do Balancê, da Estrela Dalva e com os sapatos de verniz bicolor da Uza
O melhor: a pantalona branca, de marinheira


João Pimenta
Talvez pelo cansaço, pela expectativa exagerada, o Pimenta desta vez decepcionou um pouco. Teve conceito, coordenação, bela cartela de vinhos, verdes e beges, excelente qualidade. Pecou na quantidade de roupas, sempre baseadas em esporte, como o cricket. Com calças quase de montaria, camisas soltas, uma polo largona. João assina um tênis da linha From the Archive, da Puma, nos tons da coleção. Os rapazes estavam todos de mãos nos bolsos, os primeiros, com cabelões desfiados, à la Maria Antonieta. Ou Amy Winehouse, a musa do momento, até na moda masculina.

Thursday, May 29, 2008





Casa dos Criadores 23

André Hidalgo confirma o talento de fazer muito com pouco. Os recursos da Casa nem se comparam com uma São Paulo Fashion Week ou um Fashion Rio, mas tem muita dignidade e originalidade o evento que nasceu há 23 edições como Semana da Moda e se consagrou como Casa dos Criadores, em São Paulo, depois de algumas edições memoráveis no Cais, no Rio.
Há sempre uma evolução, uma diferença a anotar. Desta vez, pelo menos no primeiro dia (ou noite, já que começa às 19h), notou-se que os participantes estão muito mais preocupados em criar roupas usáveis do que inventar peças esdrúxulas e engraçadas. Claro que haverá sempre uma Tudi Cofusi, com um jeitão menos convencional, mas alguém tem que fazer algo assim, para ser o lado delirante e promissor da temporada.
O patrocínio inclui o shopping Frei Caneca, onde se realizam os desfiles e as apresentações de bandas, e a Brastemp, que teve suas novas e coloridas geladeiras vestidas pelos estilistas. Senti falta da Puma, que da última vez lançou bolsas com reforços de madeira, que agora estão à venda nas lojas-conceito da Puma (Barrashopping tem uma, a Garcia d’Avila tem outra) e do show-room que também estava presente na edição de inverno.Voltem à Casa, por favor.

Os desfiles

Gustavo Silvestre
Estampa em listras lembrando galões e silhueta com panejamentos retos na frente ou nas costas, dando movimento. Com esta base, Gustavo faz vestidos-túnicas, macacões tomara-que-caia, usa o tecido pelo avesso em calça drapeada, aberta nas laterais das pernas. Para os homens, uma pólo com galão no abotoamento. Belos sapatos da Francesca Giobbi, com saltos vasados e amarrações de cordinhas coloridas (que, na passarela, teimam em desamarrar).

O melhor: os galonados são bons, mas o vestido curto dourado adamascado, com mangas de renda é ótimo

Gustavo é barbudo, tem visual de garotão, parece mais roqueiro do que estilista

Tudi Cofusi
Começa com o Assim falou Zaratustra, apoteótico, e abriu com figura feminina de cirê preto, segurando galhos dourados. Não vale saber a história pelo press-release, melhor sacar que por trás de muita fantasia há idéias objetivas, como o casaco de malha estampado, os macacões curtos, a graça dos pregadores dourados arrematando barras de saias de malha. Melhorou muito, e virou indispensável, pela irreverência e idéias com futuro, a Tudi Cofusi. Está menos cofusi.
O melhor: as roupas são interessantes, mas a maquilagem domina, com aqueles cílios coloridos. Quase uma Patti McGrath, que faz Dior


ADD (Attention Deaf Disorder)
Será que o autor, Faissal Makhoul, é surdo, como sugere o nome da marca? Não conferi, mas gostei muito da moda masculina que ele apresentou. Calças estreitas, de gancho baixo, blusões com estampas de losangos, com bermudas; blusões com sutil degradê azul nas sanfonas de mangas e cós, uma série de camisas com listrados em base preta. Como complemento, colares de contas, como os árabes gostam, e tênis tipo Van. Uma estampa de camelinhos reforça o conceito desértico
O melhor: Faissal tem bom acabamento, boa coordenação na coleção. Está pronto para o mundo e passarelas maiores. Na verdade, não tem nada demais, mas é muuuito bom. Roupa pra homem





Diva
Andréa Ribeiro é outra que daqui a pouco bate asas da Casa dos Criadores. Aliás, é assim que funciona um evento de novos: fornece nomes para os grandes shows. E vai descobrindo outros. Andréa, com a trilha nacional do Hisato, começando pelo Carinhoso, agradou com uma linha navy cheia de pregas religiosas (horizontais) e arremates de babadinhos pregueados em vestidos tomara-que-caia e boleros. Usou lenços de seda, à la Versace nos anos 80, tanto em vestidos como em ótimos chapéus-lações, que entusiasmaram o Diaulas Novaes, outro criador de chapéus, na primeira fila. O coral também foi explorado, com botões dourados, em vestido com lacinho no decote. Tudo curto, jovem, apesar de referendado nos anos 60.
O melhor: tudo uma fofice, mas destaco uma blusa de flores, bacana por ser feita em tecido leve, mas ter uma pala de trench-coat nas costas. Linda, o visual de beleza do Ricardo dos Anjos. Mas isto não é novidade, ele é show


Marcelu Ferraz
Todos os desfilantes declaravam qual era seu lado B, na apresentação. O Marcelu declarou que era ir para o Rio todos os fins de semana. De lá, ele trouxe uma combinação de Mr. Wonderful, Bee e Yes, Brazil, e fez uma ótima coleção masculina. Muita gente, como a Marisa Macedo Soares, na fila A, comentou que usaria tudo do estilo do Marcelu, mas deve haver mercado masculino ávido por camisetas com estampas de araras e tucanos, bermudas de laise branca, regata com estampas localizadas de flores e borboletas. Sem falar nos sapatos Oxford de verniz em cores pastéis e longos bicos finos. Ou nas bolsas, lindas, entremeadas com as estampas tropicais, perfeitas para os fins de semana do Marcelu no Rio. Ah, e tem a proposta de carteira, carteira mesmo, tipo retângulo, em couro, para os senhores cansados de encher os bosos com chaves, celulares e cartões.
O melhor: todo o conceito, sem medo de ser gay

Walério Araújo
Estava com a agenda estourando, o celular apitando, a internet falhando, mas vim neste primeiro dia, por causa do Walério. É sempre uma surpresa, em geral, uma diversão e uma espécie de tradução do clima atual da moda, o desfile deste cara que anda de salto alto melhor do que muitas mulheres. Pode ser considerado o Rei dos Armarinhos, porque usa como ninguém todos os paetês, plumas, continhas, passamanarias e o que mais houver de aviamento antigo ou moderno. Na fronteira do carnaval, às vezes. Mas desta vez, foi um luxo. A começar por um elenco de tops, como a Bruna Sottili e a Renata Klem. E pela astúcia de propor duas versões dos modelos: primeiro, longos, depois curtíssimos, valorizando as pernas e os sapatos do Fernando Pires. Vestidos de babados em tom pele-morena; franjas de correntes douradas, tons de magenta e falsos changeants em tons de marrom (eram camadas de tecidos), rosas de tecido (olha o armarinho aí) contornando um poncho. Estes são alguns detalhes da coleção, que contou com a cantora Claudia Leite no elenco.
O melhor: a identidade do Walério, que aposta no luxo, com humor e criatividade.

Na platéia: é sempre advanced, acho até que daqui a pouco vão raspar as tatuagens, que surgiram primeiro no evento do André Hidalgo, mas agora viraram lugar-comum. Ainda estão presentes nos braços do público, mas nota-se que a referência na Amy Winehouse é muito forte. Cabelos desfeitos, volumosos e olhos delineados denunciam a adesão.


Casa dos Criadores
Terceiro dia

Demorei, mas cheguei ao terceiro dia. Estava cheia de curiosidade, para ver como seria o heliponto do prédio onde fica o shopping Frei Caneca. E como seria contornado o desfile com o frio de 12 graus e a chuva insistente. Claro que não foi: a platéia subiu as escadas, constatou que estava um vento gélido, e a mesma escada que subíamos servia para as modelos enregeladas, de roupas de verão, descerem. Valeu para ver a vista paulistana, apesar da chuva.

Este terceiro dia comprovou que há muita qualidade na Casa dos Criadores. Os novos são inexperientes, ainda sem produção, mas se souberem desenvolver as idéias, vão longe. Estes foram os últimos participantes da 23ª edição da Casa dos Criadores:


Gêmeas: a dupla Carol e Isadora Foes Krieger começou com ótimas blusas bordadas em ponto de cruz, um pouco nostálgicas, antiguinhas. As meninas sentavam em cadeiras e liam livros, enquanto outras modelos passavam de vestidos pretos com passamanarias douradas. Colares com curvas douradas movimentavam a frente dos vestidos e blusas de vichy amarelo e preto com saias brancas, mais curtas na frente.
No final, uma das gêmeas veio agradecer os aplausos, portando uma bela bolsa Chanel


Purpure: da dupla de estilistas Weider Silveiro e Mark Greiner conheço este último, das roupas que criou para a Santana Têxtil expor em uma Premiere Vision. Eram tão elaboradas, que julguei que fosse algum garoto inglês, recém-saído da Saint Martin. Era o Mark, de Fortaleza. Que fez um misto de maiôs e biquínis em cirê, com babados, de onça com shorts de babados, casacos –vestidos de cetim verde com gola alta e punhos de vinil roxo. Correntes douradas decoram pantalonas, borlas de seda enfeitam os sapatos e imitam dragonas de general.

Ianire Soraluze: a moça de nome estranho homenageou os palhaços com formas volumosas em tecidos com relevos, pantalonas de cintura alta, em jeans. Vestidos com peitilho e babados na barra, listradinhos, se destacaram. Bons looks, bom conjunto. Garotas de longos cabelos lisos e chapéus altos, com flores, botinhas anabela, completaram o desfile

André Phergom: bastante jeans nesta coleção, atenção dada tanto ao feminino como ao masculino. Bermudas, calças com reforços nos fundilhos, para eles; vestidos de cintura marcada e botõezinhos, Modelagem com dobras, cores fortes, em ponteiras de acrílico nos colares, um longo branco com barra azul. No make, Ricardo dos Anjos pintou escorridos coloridos, saindo dos olhos, canto dos olhos, um pouco vampiro-pop.


Prints I like: um destaque da Casa, as idéias da Luiza Aguiar. Flores e borboletas em fundos roxos e azuis, babadinhos arrematando mangas e saias. As sandálias de verniz da Meline Moumdjian combinam azul e laranja, o vestido de renda preta tem forro vermelho. As estampas foram tiradas do livro Into the Nature, de Katharina Jung.


A.nimal S.treet H, mais conhecida como Ash: Guil Macedo e Roberto Leme têm jeitão de grafiteiros, passam este jeito meio borrado para as roupas que assinam. Pintam gravatas, fazem biquínis com estas gravatas; estampam caravelas (águas-vivas grandonas), tubarões e mergulhadores, rabiscam por cima, transformam os desenhos de mar em manchas e temas abstratos. O conceito preservacionista tem o mote Viver perigosamente. São bons desenhistas, mas faltou moda.

Wednesday, May 28, 2008


Calma, pessoal! Ninguém vai sair pelado pela Marina da Glória, durante o Fashion Rio. É que mesmo nesta época de prévias e adiantamentos de coleções, não posso deixar de me solidarizar com o pessoal do Museu do Traje, de Madri. Aquela maravilha de museu, super bem editado e com programações e exposições impecáveis, está ameaçado de ser praticamente extinto, porque há um projeto de transferir para um espaço muito menor, em um antigo Matadouro da cidade. Com conceitos do tipo “ ter espaço para novos talentos”, “interagir com estudantes”, etc, etc.
Desde quando, museu é lugar para priorizar quem ainda nem tem obra para expor? Pior, reduzir o espaço de roupas históricas e bem preservadas, para promover uma suposta inter-ação?
A Asociación de Amigos del Museo del Traje começou esta campanha “Me quieren quitar el Traje!”, ou seja “querem me tirar a roupa”, em tradução com a ambigüidade do título da campanha.

Que coisa, como pode? Em todo caso, corram para Madri (boa sorte na entrada, no aeroporto) e visitem o Museo del Traje. Enquanto dura.


Quanto ao Fashion Rio, hoje conto sobre o Fashion Container, um projeto que vai mostrar coleções de maneira diferente. Tudo começou porque Rita Wainer não queria fazer um desfile comum. A organização criou os containers, pintados de branco, para servirem de ambiente para exposições, performances, apresentações diferentes. Projeto feito, a Rita decidiu...desfilar! Então, os cinco containers, cada um com 2,5m x 12m, alinhados na praça central da Marina da Glória, abrigarão as coleções da Soul Seventy, Thaís Losso, Muggia e a própria Rita, que diz que fará um “estacionamento de gente” no seu container. Ela pretende filmar o desfile no dia 7, e apresentar este filme para a platéia do container.
Luana Jardim estréia no Fashion Rio, com a marca Specular, uma moda com roupa de mineração, que impressionou bem o pessoal da Firjan.
A Billabong desistiu pela segunda vez. Pretendem se preparar melhor. O problema é que a ação deles (são australianos, com pé na Califórnia), é praia e surfe. Difícil competir com a turma daqui. Entra uma Redley, e não tem canguru que sobre.

Saturday, May 24, 2008

Enfim, poucos minutos depois, recebi a agenda do Fashion Rio. Desta vez temos mais desfiles já no primeiro dia, uma das salas será um Fashion Container e a escolha do último desfile foi acertada. A Redley sempre segura a onda, ninguém vai querer perder.

VERÃO 08/09

Dia 07 de Junho – Sábado
17:00 – Coletiva de Imprensa – Marina da Glória
18:00 – Specular – Marina da Glória
19:30 – Lilica Ripilica – Salão Copacabana
20:30 – Rita Wainer – Salão Ipanema

Dia 08 de Junho – Domingo
16:30 – Thais Losso – Fashion Container
17:00 – Inauguração Exposição Fashion Container – Muggia, Soul Seventy, Rita Wainer, Thais Losso – Marina da Glória
18:00 – Virzi – Salão Copacabana
19:00 – Santa Ephigênia – Salão Ipanema
20:00 – Totem – Salão Corcovado
21:30 – Walter Rodrigues – Pão de Açúcar

Dia 09 de Junho – Segunda-feira
16:00 – Têca – Salão Copacabana
17:00 – Mara Mac – Salão Corcovado
18:30 – Alessa – Salão Ipanema
19:30 – Salinas – Salão Pão de Açúcar
20:30 – Drosófila – Salão Copacabana
21:30 – Tng – Salão Corcovado

Dia 10 de Junho – Terça-feira
10:00 – Abertura Fashion Business – Marina da Glória
10:00 – Tessuti – MAM
15:30 – Novos Estlistas: Homem de Barro e Filhas de Gaia – Salão Ipanema
16:30 – Apoena – Salão Copacabana
17:00 – Soul Seventy – Fashion Container
18:00 – Eliza Conde – Salão Ipanema
19:30 – Maria Bonita Extra – Salão Pão de Açúcar
20:30 – Victor Dzenk – Salão Copacabana
21:30 – Cavendish – Salão Corcovado

Dia 11 de Junho – Quarta – feira
15:00 – Novos Estilistas: Giulia Borges e Koolture – Salão Ipanema
16:00 – Coven – Salão Copacabana
17:00 – Luiza Bonadimam – Salão Corcovado
18:30 – Graça Ottoni – Salão Ipanema
19:30 – Juliana Jabour – Salão Copacabana
20:30 – Carlos Tufvesson – Salão Corcovado
21:30 – Cantão – Salão Pão de Açúcar

Dia 12 de Junho – Quinta – Feira
15:30 – Rio Moda Hype – Salão Corcovado
17:00 – Kylza Ribas – Salão Ipanema
18:00 – Chiaro – Salão Copacabana
19:30 – Lenny – Salão Pão de Açúcar
20:30 – Elisa Chanan – Salão Ipanema
21:30 – Sandpiper – Salão Corcovado

Dia 13 de Junho – Sexta – Feira
15:00 – Coletiva de imprensa Fashion Business – Auditório Fashion Business
15:30 – Rio Moda Hype – Salão Copacabana
17:00 – Luciana Galeão – Salão Ipanema
18:30 – Espaço Fashion – Salão Corcovado
19:30 – Melk Z-Da – Salão Ipanema
20:30 – Ivan Aguilar – Salão Copacabana
21:30 – Redley – Salão Pão de Açúcar

Friday, May 23, 2008

A agenda da São Paulo Fashion Week saiu antes da do Fashion Rio. Serão 50 desfiles, de 17 a 23 de junho, alguns dias com oito marcas nas passarelas. Tomara que sejam poucos os externos, porque é bem complicado se afastar da Bienal, enfrentar o trânsito paulistano, principalmente para quem cobre on-line. Estarei neste jogo, para o Terra, no Rio e em SP. Tomara que o sistema WiFi da Bienal funcione desta vez.
Claro que todos sabem (nós, pelo menos, adeptos da moda) que nossas queixas não são para levar muito a sério: falo que quero ficar na Bienal, mas admito que pretendo conhecer a tal ponte (ou viaduto?) nova, que vi em construção. Se um desfile for longe, de manhã, na chuva, vou reclamar, reclamar, até ver que o desfile é bonito, como foi o da Cavalera nas margens do Tietê.
Povo da moda é assim. Espera três horas em pé, esmagada em uma fila ao relento, e sai feliz, se o Marc Jacobs fizer uma coleção bonita.
Portanto, vamos às 50 novidades, que a moda brasileira merece.



SPFW Verão 2009

17 de junho :: Terça-feira
15h00 Osklen
17h00 Patricia Viera
18h00 2nd Floor
19h00 Forum Tufi Duek
20h15 Fábia Bercsek
21h30 Do Estilista

18 de junho :: Quarta-feira
14h30 UMA por Raquel Davidowicz
15h30 Movimento
16h30 Ellus
18h00 V.ROM
19h00 Fause Haten
20h00 Triton
21h15 Cia Marítima

19 de junho :: Quinta-feira
11h30 Iódice
14h30 Maria Bonita
16h00 Cori
17h30 Huis Clos
19h00 Alexandre Herchcovitch (masc)
20h15 Blue Man
21h30 Animale

20 de junho :: Sexta-feira
12h00 Reinaldo Lourenço
15h00 Cavalera
16h00 Alexandre Herchcovitch (fem)
17h00 Anabela Baldaque
18h00 OESTUDIO
19h15 Agua de Coco
21h00 Neon

21 de junho :: Sábado
11h00 Isabela Capeto
15h00 Jefferson Kulig
16h00 Miguel Vieira
17h00 Amapô
18h00 Ronaldo Fraga
19h00 Wilson Ranieri
20h15 Rosa Chá (masc)
21h30 André Lima

22 de junho :: Domingo
09h00 Pedro Lourenço
10h30 Gloria Coelho
15h00 Maria Garcia
16h00 Mario Queiroz
17h00 Paola Robba para Poko Pano
18h00 Simone Nunes
19h00 Samuel Cirnansck
21h00 Colcci

23 de junho :: Segunda-feira
11h00 Erika Ikezili
14h00 Zoomp
15h00 Priscila Darolt
16h15 Carlota Joakina
18h00 Vide Bula
19h00 Reserva
20h30 Lino Villaventura

Thursday, May 22, 2008


SOBREMESAS DELICIOSAS

Anita Bernstein

Muita gente começa a ler o cardápio pelo final, só para ir pensando no doce ou sorvete que vai pedir. Estas são algumas das boas opções cariocas:


Copacabana

Restaurante Pérgula, do hotel Copacabana Palace Odilson de Souza, chef patissier, da equipe do chef executivo Luiz Incao do Copa, em evento de premiação serviu sorvetes de frutas nas casquinhas. Um charme!

Ipanema
Chaika
O cardápio é quilométrico para comer in loco, no balcão, nas mesinhas ou encomendar para viagem. As vitrines (ou em bom português: vitrinas) mostram entre as novidades uma torta especial que leva lâminas de ouro. O festival desta temporada é de banana.



Leblon/ Vidigal

Sheraton Rio
Continua em grande estilo a gastronomia assinada por Rogério Siqueira, chef executivo. Destaque para porções individuais em taças, que variam entre mousses, tartelettes e apfelstrudel.

Ipanema e Barra da Tijuca
Benkei
Tempura com sorvete de baunilha e calda de frutas vermelhas é a pedida imperdível da rede japa.

Urca

Bar e Restaurante do Seu Gomes
Bolo de chocolate foi um dos brindes oferecidos para as Mães no seu dia. No Dia dos Namorados, 12 de junho, certamente o mais premiado da orla carioca vai oferecer algo de bom.

Leblon
Talho Capixaba
Bolos de aniversário com nozes é a boa pedida, além de tudo quanto é tipo de tortas, doces, rabanadas, em qualquer época do ano. Isso sem falar nas tábuas de salgados e os mais deliciosos pães da cidade. Delivery e retirada de cestas, tábuas e outras embalagens sem custos.

Tijuca
Donna Donni
A torta italiana tiramissú segue a receita original. Entre os ingredientes: biscoitos, queijo mascarpone, café e cacau em pó.

Barra da Tijuca
Tizziano
Entre as pizzas doces mais pedidas, a de Cioccolato tem massa fina crocante com nutella.

Jacarepaguá
Castelo do Vinho
O chef Nunes lançou a sobremesa de caqui flambado com sorvete de creme.

Ipanema e Barra da Tijuca
Rede Via China
Na realidade a rede serve culinária asiática e a dica de sobremesa mescla ingredientes japa-brasileiros. A receita do Hot Doce, como o nome esclarece, é servida quente: leva doce de leite caseiro, arroz e alga.

Monday, May 19, 2008


Está chegando o Fashion Rio


Enquanto uns vão, outros voltam. Para São Paulo, seguem David Azulay e sua Blue Man, a Colcci e talvez a Gisele. Para o Rio, voltam Walter Rodrigues e Carlos Tufvesson. Assim são os eventos. Agora, além do Fasion Rio e da São Paulo Fashion Week, fala-se da semana de alto-verão organizada por Nizan Guanaes. Parece que terá hotel Fasano na parada, como point de desfiles ou hospedagem de imprensa. Será? Vou me inscrever como imprensa dos estados, rarara.



Extra leves
Segundo Marcio Lima, da New Order, já que as marcas de tênis voltam a investir nos calçados de performance, a moda deve voltar a criar modelos em tecido, de visual design. Ele mesmo exibe inspirações nos velhos e amados Congas. A internacional Timberland também muda de rumo: sai das botinas de trekking, e parte para botinhas extra-leves, feitas em algodão orgânico impermeável, com sola de borracha reciclada. A frase da campanha é ótima: as botinhas preservam o solo que pisam.


Ronda
Nesta semana, a ronda passou pelo Rio Design Barra. Que diferença daqueles tempos de shopping de luxo, dedicado à decoração! Está maravilhoso, como shopping de moda. Certas lojas, como a Cavendish, são de cair o queixo, tal o aproveitamento arquitetônico do espaço. Tem quiosque da Tania Quaresma, uma boa loja de brinquedos, o Azzurra, de massas leves e requintadas. Ainda não provei o Adegão Português, mas vi que servem moqueca, hum...
O melhor de tudo é ver que deu certo, do ponto de vista do movimento. Estava lotado, no sábado. Vale a distância, para conferir. No meio da moda toda, sobrevivem as cozinhas design, a Favo e a Roma (esta, não tenho certeza do nome). Elas justificam a presença, qualquer fashionista queria ter uma cozinha daquelas.
Antes da mudança do mix já considerava o RDB um dos shoppings mais bonitos do mundo. Agora, dificilmente existe outro melhor, em matéria de visual.

Regina Lundgren, âncora do Fashion Mall, recebeu a coleção de camisas masculinas do Sergio K, sucesso em São Paulo. Vou lá ver.

John Galliano
deu bolo nos estudantes de uma escola de moda em Savannah, nos Estados Unidos. Ele era o homenageado, mas ficou doente.

As coleções da Renner e da C & A estão valendo uma ronda. Nesta última, pelos jeans. Na Renner, pelos acessórios. As luvinhas de tricô estão fofas.

O cashmere é inevitável no próximo inverno de 2009, estará nas tendências do Senac Moda + que acontecerá em setembro. A prova está na prévia que está nas vitrines da Richards. Suéteres de cashmere fazem parte da coleção atual, custam em torno dos R$ 600 e tantos. Só não entendi porque elas são em cinza, verde-limão ou roxo. Quem gastaria tanto, em cores tão marcantes? Tomara que eles lancem também em preto, vinho, amarelinho, bege.

A Cantão está incrível, neste outono. A marca acertou o passo da coleção, o desfile e a vitrine. O certo é a última fase ser a melhor de todas, e é o que acontece com a coleção Eu amo ler. Tão colorida, variada, cheia de acessórios ótimos. A Redley ainda não chegou lá: o desfile foi deslumbrante, mas as vitrines perdem em impacto. Aquele visual meio surfe, meio cabana rústica não convence.

Falando em vitrine, gostei do que vi hoje na Sandpiper, no shopping Leblon. Tanto a roupa, como a montagem, com os bonecos sentados.

A turma de figurino continua a mil, em Paulínia. Na última aula, falei dos anos 20 aos 40, do cinema mudo, do começo do sonoro, quando a música tinha importância (só Casablanca, já demonstra isto). Chanel, Poiret, as guerras, as mudanças decorrentes das crises. Tem horas que eu queria ser aluna, e saber mais sobre estes temas.

Na terça-feira estréia a Noviça Rebelde, no novo teatro Casa Grande, no shopping Leblon. Gosto de musicais, mas estranho ver a saga da família austríaca no teatro que já foi palco de tanta discussão política.

No dia 27 inaugura a nova Amsterdam Sauer / espaço Ipanema
rua Visconde de Pirajá, 484

Vai sair a Sim!, revista do Jornal do Brasil dedicada a noivas e casamentos. Na capa, provavelmente a Alexandra Martins, com o mar de Copacabana ao fundo, na varanda do Copa. O hotel continua lindo, tudo é gostoso. A cestinha de pães do almoço da Alexandra tinha pães de queijo, incríveis de tão macios. Nota-se a qualidade de um estabelecimento nestas pequenas coisas.

Também nesta semana, os moradores da Barra devem receber o terceiro número da revista do Barrashopping, cheia de idéias de presentes e moda para os namorados

Thursday, May 15, 2008





Faltam 22 dias para o Fashion Rio

Começamos pela escolha dos desfilantes da 9ª edição do Prêmio Rio Moda Hype. Foram 280 inscrições de todo o Brasil, muita gente dos estados, poucos do Rio. Cadê a estudantada de moda, gente? Vamos nos mexer, pessoal.

Serão 12 participantes, seis estreantes e seis experientes, com pelo menos um desfile já feito.
Os que darão bis:
Fernanda Yamamoto (São Paulo)
Renata Veras (Rio)
AdPac (Rio)
Melca Janebro (Ceará)
R. Groove (Rio)
Stefania (Brasília)

Os novos:
Nana Carana (Santa Catarina)
Mektref (Pernambuco)
Oriucha (Portugal)
PURE (Belo Horizonte)
James Cesari (São Paulo)
Tarcisio Almeida (Bahia)

Quanto aos que já participaram do RMH, vejam o que andam fazendo:
Felipe Eiras - desenha coleções da marca Novamente
Athria Gomes - abriu loja na Ipanema Secreta,
Koolture, de Daniela Conolly – abre loja no Leblon em maio
Paulo Luz da Pluz Brasil e Fernando Porto da Carpe Diem estão na equipe da Richards,
Amanda Mujica, da Soul 70, faz parte do estilo da Cantão
João Borges Barreto, da Cordel Regional, está na Sandpiper
R. Groove de Henrique Gonçalves abre loja na galeria River em Ipanema,
Paulo Jardim, do Flesh Beck Crew, está na equipe da Redley
Marciana desenvolve peças para Farm e vende para multimarcas de outros estados como: São Paulo para A modista, no Rio de Janeiro para a Macaca de Ipanema, Jundiaí para a Madrecita, em Ribeirão Preto para Louvre, em Jaú na Giló da Fulo, Recife na Avesso, Campinas na Exclusivo e Moda Café, Cuiabá na Onng, em Barra do Piraí na Maria Flor




Estilo masculino

Os homens pedem um estilo novo, que não comprometa o jeito casual que preferem. E que tenha cara de inverno brasileiro.
Escolho estas duas opções:
Primeiro, a suéter clássica, escocesa, adaptada aos tempos modernos. Este padrão de losangos, originalmente chamado de Argyl, vem da Escócia, terra das lãs e cashmeres perfeitos.

Segundo, não é exatamente uma roupa, mas um modo de usar. A velha e boa calça jeans, com sapato de amarrar e paletó de veludo ou tecido escuro. Marinho fica ótimo com calça cáqui ou jeans claro. Preto, com jeans de qualquer cor. Por dentro, uma camiseta branca, preta ou mescla. Ou a camisa branca, como na foto.

As duas fotos são da coleção Los Dos, linha masculina da BobStore.
Fotos Morgade; modelo: Fabricio Zunino (Ten Model); styling: Raphael Mendonça

Ronda

Enfim, hoje voltei ao Barrashopping. Em busca de material de produção, como sempre. Sabem que até gosto? Dá a sensação de estar fazendo um monte de compras, escolhendo peças, combinando com acessórios. Gosto disto, gosto daquilo, anoto, às vezes fotografo, ou saio com algumas sacolas (que serão devolvidas depois da produção finalmente encerrada). Não uso nada, mas também não gasto um tostão, só pago o estacionamento.

Além de diversão funciona como uma espécie de vacina. Vejo tanta roupa, monto tantos looks, que enjôo de tudo. Para comprar, é uma tal indecisão, que acabo saindo com a calça preta ou risca-de-giz, a camisa branca, o casaco cáqui, de sempre.

Mas hoje gostei de muita coisa no Barra. Principalmente de ver a evolução de várias marcas. E os preços, que até estranhei, porque achei menores do que normalmente são, em princípio de estação, ainda mais de inverno.
A Siberian está ótima, tem vestidos pretinhos lindos, por menos de R$ 150, camisetas e suéteres em cores bonitas (claro, muito preto e cinza, como adoro), casacos irresistíveis. A coleção feminina da Armadillo deu coceira na carteira, eles estão acertando muito. O atendimento da loja é super-gentil. Até de senhorita me chamaram!
A Cavalera melhorou o visual da loja, manteve a cara alternativa, meio garage, simpática, mas tem conteúdo, calças lindas. E atendimento show.
Na Shop 126, além das meninas que são uns amores, vê-se de repente, jogada sobre um balcão, uma blusa delicada, toda bordada com vasados, em tom bege. Bons longos, belas botas.
Quanto à Cantão, não é surpresa ver como a coleção colorida, variada, ficou boa. Mas no shopping da Gávea a vitrine valoriza mais.
Outra que não supreende é a Victor Hugo. O nível continua internacional. Mas que bolsas de logo são aquelas, tipo tem-que-ter? Os modelos estão em tamanhos mais razoáveis, fáceis de levar no dia-a-dia, e têm aquele jeito de milionária, de bom acabamento. Sabem, a bolsa que sozinha, levanta o visual inteiro, naqueles dias que o cabelo não deu certo, a roupa ficou sem graça, o sapato tem cara de nada? Pois é. Basta uma daquelas, para o upgrade estético.

Sabem outra coisa que gosto lá no Barra? Mania boba: entrar e sair pela porta da Hot Zone. Adoro ver as máquinas de jogos, os simuladores doidos, ouvir a barulhada da sala. Deve ser algum recalque de Las Vegas misturado com Busch Gardens.

Avulsas
A Ducha lançou uma linha de colônias, espuma de banho, sabonete e hidratante à base de flor de laranjeira e baunilha. Deve ser uma delícia, meio antiguinha de perfume.Os preços vão de R$ 12 (sabonete) a R$ 39 (colônia).
Vejam mais em www.duchacosmeticos.com.br

A NovoAmbiente inaugurou loja no Casashopping, abre oficialmente no dia 15, quinta-feira, com festa pela 3Plus
www.novoambiente.com

Sunday, May 04, 2008





Agenda

O destaque da semana obriga a um vôo de nove horas, porque não temos super-poderes, capas voadoras ou capacidade de locomoção supersônica própria para chegar a Nova York e ver a expo de Super-heróis. Mas temos atrações aqui mesmo, para vestir, dançar e se divertir.

Na terça-feira, dia 6 de maio, Leila Schuster mostra as camisas masculinas da sua grife Alfaiataria e as femininas da Miss Schuster, no ateliê, das 17 às 22h
(Ateliê Miss Schuster: rua Conde d’Eu, 170 / Largo da Barra – Rio de Janeiro)


Também na terça, dia 6, o Espaço Coletivo lança as coleções de Caroline Rossato, Koolture e Paula Mariana Barbalho, com apresentação da consultoria DNA Carioca. Das 17 às 21h
(Espaço Coletivo: rua Aristides Espínola, 121, sala 201, no Leblon – Rio de Janeiro)


E mais: a Glorinha Paranaguá continua a criar acessórios com a imagem do Rex, o cachorrinho cult. O lançamento também é hoje, a partir das 17h, na loja de Ipanema
(Glorinha Paranaguá: rua Visconde de Pirajá, 365 - Rio de Janeiro)



Na quarta-feira, dia 7, o 00 (restaurante ZeroZero) apresenta a quarta edição da Dahclasse, festa que tem bloody mary no jardim, vinhozinho no restaurante ou cervejinha na pista de dança, que é impossível resistir ao som de lá. A partir das 20h
(O 00 fica ao lado do Planetário da Gávea, pertinho da PUC, no Rio)



Também na quarta, um programa imperdível para quem está em Nova York: abre a exposição Superheroes – Fashion and Fantasy (super-heróis – moda e fantasia) no Instituto de Arte e Costume do Metropolitan Museum. Andrew Bolton fez a curadoria, baseado no livro The amazing adventures of Kavalier & Clay, de Michael Chabon. Na expo, roupas assinadas por John Galliano, Thierry Mugler e Dolce & Gabbana, entre outros, são vistas em cenários tipo backdrop, com imagens de Gotham City, Metropolis, etc. Segundo Bolton em entrevista ao WWD, o ssuper-herói é a metáfora da moda, porque também tem a obsessão com o corpo, a identidade e a transformação”
Já viram, não é? Imperdível mesmo. Calma, pessoal: dá tempo de tirar o visto. A expo fica no Metropolitan até 1º de setembro.
Mas a festa na quarta-feira reunirá George Clooney, Julia Roberts e Anna Wintour



Na sexta-feira, dia 9 de maio, Gilda Midani abre loja em São Paulo, com estas roupas modernas e versáteis. Das 17 às 21h
(Gilda Midani: rua da Consolação, 3.058-A / Cerqueira César – São Paulo)

Friday, May 02, 2008

Marés de marcas


Bianca e Camila, no final do desfile de janeiro

Enquanto uns vão, outros vêm. Parece até movimento das ondas, a atividade nas agendas do Fashion Rio e da São Paulo Fashion Week. Só que é movimento atual, estilo das ressacas que agitam as praias brasileiras.
A Espaço Fashion, que agradou muito com o desfile em princípio despretensioso no Fashion Business, na edição de janeiro, fará parte da agenda principal do próximo Fashion Rio, que se realizará de 7 a 13 de junho, na Marina. A própria Eloysa Simão saiu da sala impressionada com a eficiência do show.
Bianca e Camila Bastos, as irmãs e sócias da marca criada em 1996, estão animadas com a estréia. Deverá ser um ponto alto do evento, com a edição com a qualidade do trabalho de Daniel Ueda.

Destaque-se a importância desta novidade, porque mostra que há o empenho em valorizar as novas marcas, que brotam fortes no Rio. Elas começam pequenas, como ateliês, mas convencem pelo resultado nas coleções e quando superam os percalços da pequena e cara produção, vendem bem.

Thursday, May 01, 2008

Confirmação de tendência



Quem costuma ler este site ou o blog equivalente, talvez lembre de algumas conclusões tiradas durante as semanas de moda realizadas em fevereiro e março: que o mercado
estava mudando, e isto traria conseqüências para o estilo da moda.
Traduzindo na prática: o mercado americano, que sempre liderou o consumo do mundo, está em crise. Quem compra atualmente: árabes, russos, indianos e chineses. Uma multimarca do Cazaquistão foi o furor da temporada, deve ter comprado coleções inteiras.
O que isto provoca: uma adaptação ao gosto destes países, de culturas diferentes da francesa. Criar para as americanas é mais simples, porque os Estados Unidos sempre admiraram o talento dos europeus. Mas China e Rússia têm tradições próprias de luxo e moda. A Índia é o país de origem das sedas e das pedras preciosas. Portanto, deve haver mais brilho e mais luxo daqui para a frente. As previsões do povo da moda, nos corredores (melhor dizendo, nas filas e horas de espera dos desfiles, ou nas feiras e salões), é que os americanos vão ter pelo menos cinco anos de crise.

A mais recente ação da Calvin Klein, segundo o WWD, retrata esta situação de adaptação. Na semana passada foram lançadas coleções da marca em Dubai, como parte de um circuito internacional que incluiu Toquio, Xangai, Beijing e Londres.
A festa contou com 300 convidados no Four Seasons Golf Club, onde o lounge foi transformado em galeria com 15 colunas de acrílico onde os modelos se instalaram dentro de pedestais de aço. Um visual futurista, assinado por Kevin Carrigan, diretor de criação da empresa. Segundo Carrigan, Dubai sabe a diferença entre opulência e minimalismo, e quer ser reconhecida como uma cidade do futuro.

Entre os lançamentos feitos na ocasião, destacaram-se o perfume Euphoria Intense e a linha de maquilagem, que deverá ser vendida na Debenhams (que é inglesa, com filial no Mall of the Emirates), além das coleções de sapatos femininos e masculinos, que chegarão no outono aos Emirados Árabes.

Para atender ao gosto da consumidora do Oriente Médio, a Calvin Klein deve fazer modificações na coleção. As mudancas atendem às diferenças de clima, o tipo físico e as cores.
A maior diferença é em relação ao marketing e exposição das mercadorias. Além das campanhas publicitárias serem mais discretas, as peças de lingerie chegam a provocar multas, se forem expostas de maneira ousada demais nas vitrines. No lançamento feito na quinta-feira, por exemplo, as novidades em roupas íntimas não eram vestidas por modelos e sim, artisticamente dispostas sobre dunas de areia.





Na lista de celebridades locais: a cantora Diana Haddad Mohi-din Binhendi, presidente das empresas BinHendi (na foto), a modelo Jelena Jakovljevic Bin Drai, , o designer libanês Walid Atala e o diretor de cinema Nahla Al Fahad. É bom ir se acostumando com estes novos vips do mundo do luxo. E aprender a escrever direito seus nomes


Quando este site apresentar problemas, procure o blog: iesarodrigues.blogspot.com