Saturday, March 01, 2008



Categoria Chanel
10h55
Há quem diga que Dior é mais espetacular. Ou que Balenciaga tem mais expressão. Só que atualmente, Chanel bate todo mundo em impacto, espetáculo e mostra uma bela coleção, mais uma vez assinada por Karl Lagerfeld. Primeiro, porque montam a passarela no grande espaço do Grand Palais. Depois, porque a cenografia está cada vez mais caprichada, espetacular. E terceiro, porque Lagerfeld sabe do que se trata, fazer coleção Chanel.
Com o cenário de carrossel, os ícones da marca no lugar dos cavalinhos, o que se viu foi realmente o grande show da semana. Por ícones, entenda-se o frasco de Chanel número 5, a bolsa matelassê, o sapato de biqueira bicolor, as camélias, os broches, o chapéuzinho favorito da própria Gabrielle Chanel, o casaco de tweed, tudo em branco-perolado, lindo.
Nas modelos, quase todas louras, com o cabelo repartido ao meio, e dourado no lugar da raiz, uma escolha para várias faixas de consumo: os tailleurs de tweed, com pedaços puídos, para ficar moderno; as minissaias de jeans com suéteres brancas, fartas, com óculos de grau. E também saias longuetes, o comprimento que aos poucos vai nos convencendo que é bonito e deve voltar aos guarda-roupas. Na mesma linha elegante, o top cinturado preto com decote de gola branca afastada. Mais ousada, a série de vestidos em tom nude ou verde com cintas pretas cruzadas, lembrando o estilo dominatrix. Os trabalhos manuais foram preservados, com croché em círculos pretos, em casacos vazados. Lindos, os minivestidos com fivelas de cristal.
Quase tudo em preto, claro. As modelos sorriam em frente aos fotógrafos.
A ala masculina melhorou muito, com paletós sem lapela.
Acessórios: meias bicolores, brancas na frente e pretas atrás. Carteiras pequenas (ué, nenhuma bolsa?!), boinas, sapatos de tira em T, saltos grossos. Camélias

Intervalo / A partir de setembro, devemos ter mais butiques Chanel no Brasil, além da que existe na Daslu / Meu lugar era em frente a uma das caixas de som, imaginem a vibração / Foi um show completo, daqueles que valem a viagem. Quando as modelos saíram, junto com o Lagerfeld e seu caminhar aos pulinhos, o carrossel continuou girando, toda a platéia fotografou aquela maravilha / Foi o grande destaque da apresentação, mas não empanou o brilho das roupas. É uma coleção perfeita. Fiquei tão deslumbrada, que nem anotei a hora do final.