Saturday, October 27, 2007

Roberto Cavalli acessível




Assim como StellaMcCartney, Karl Lagerfeld e Victor & Rolf, o italiano Roberto Cavalli
Fez um apanhado de sucessos e lançou sua coleção para a rede sueca H & M, verdadeiro ninho de pechinchas da moda.
O que não quer dizer marketing pobre: a apresentação em Roma, foi um festão em estilo rock ‘n’ roll, com direito a tapete vermelho e estrelas do cinema, como estão na foto a Halle Berry e Sharon Styone (esta virou arroz de festa, está em todas) da música. As modelos Erin Wasson e Jessica Stam mostraram os vestidos de chiffon de seda com estampas de feras, o longo dourado plissado (na foto) os minis com pérolas e paetês e os smokings femininos, na linha slim. A coleção inclui roupas masculinas, com destaque para os paletós de smoking, para usar com jeans e tambeem para as camisetas de luxo.


É uma coleção formada por grandes hits de Cavalli, muitos que já freqüentam os tapetes vermelhos das grandes festas e premiações. “Mas o estilo de Roberto Cavalli inclui também uma atitude otimista e positiva. Trata-se de curtir as boas coisas da vida, com uma boa dose de glamour”, declarou a diretora de estilo da H & M, Margareta van den Bosch.

O que são estas peças, que talvez estejam na faixa dos 40 euros na H & M? Vestidos com estampas de onça misturada com tigre e zebra; plissados em metalizados ouro, prata ou cobre. Preto na linha masculina/feminina, calças jeans de corte sexy, com decorações ricas.

Roberto Cavalli , mais um estilista nascido em Florença (Itália), assim como Gucci, Pucci e Ferragamo, é um dos estilistas italianos mais reconhecidos do mundo, graças ao estilo sexy e feminino de suas coleções. Mas não é só isso: sua identidade reside na estamparia, muito mais luxuosa do que qualquer seda ou lamê, pela qualidade técnica e quantidade de cores na impressão. Ele assina também uma linha em jeans, com calças e jaquetas decoradas. Nasceu em 1940, estudou Belas Artes e começou a trabalhar na moda criando peças em tricô com padrões de flores. Mas o que deslanchou a carreira foi a técnica que inventou de pintura e o patchwork em couro, que vendeu para Hermès e Pierre Cardin. Nos anos 70 estreou com a marca própria no Salão do Prêt-à-porter de Paris. Quando sentiu que era hora de enfrentar as passarelas, escolheu Milão como cidade de lançamento. Até os anos 90 Roberto Cavalli era definido como autor de estilo sexy, que agradava apenas às mulheres de gosto perua, sempre um pouco over. Mas elas ficavam bonitas, vestindo Cavalli, e este argumento básico deu fama ao italiano que casou com uma beldade, a Miss Áustria, Eva Doringer. Desenhar uma coleção para a H & M é uma espécie de consagração atualmente. Parabéns, Cavalli.

Cidades de estilistas
Florença é berço de criadores, principalmente em couro. Hamburgo, na Alemanha, deu Karl Lagerfeld e Jil Sander para a moda. Antuérpia rendeu todo o grupo de belgas, de Dries van Noten a Walter Beirendonck. Londres manda John Galliano, Alexander McQueen, Stella McCartney, Matthew Williamson.
São points com especializações marcantes, no caso de Florença, que é do couro. Ou com ótimas escolas de moda, que enfatizam a criatividade, como a Belas Artes de Antuérpia e a Saint Martin, de Londres.