Saturday, July 21, 2007

Há seis anos ensino o que é Jornalismo de Moda no Senac Rio. Fico muito orgulhosa quando encontro ex-alunos em plena atividade. Como o Nilson Júnior, rapidamente descoberto pela colega Erika Palomino, o Marcelo Isaak, agora na coluna da Heloisa Tolipan, as Meninas da Moda, A Bia Cavalcanti, na Conceitual, a Juliana com o Willed, a Luciana, na Lenny, a Tati, em muitos escritórios, a Alessandra, em São Paulo, a Paulinha, na Capricho, a Monica, na Zigfreda, a Carla Francowsky, na Plano 1, a Paula Rita, de produtora. Isto é uma parte destas turmas, devo estar esquecendo alguns queridos.
Mas toda esta abertura é para lembrar de um aluno da primeira turma, o Alberto Ramlow, o Beto, catarinense de Pomerode. Ele vinha esbaforido do Jacaré, porque estudava e morava no Senai Cetiqt, saía cedo da aula, porque não podia chegar tarde. De vez em quando me perguntava o que estava fazendo naquele curso, de que adiantaria quando voltasse para sua cidade em Santa Catarina.
Pois o Beto continua trabalhando, escreve para o Pomeroder Zeitung, o jornal local, produziu um documentário sobre os primeiros imigrantes alemães da região, de vez em quando dá uma de designer e cria roupas de malha e de cama e mesa. Já andou pela Europa, deu um tempo pela Alemanha, vai aos eventos de São Paulo de câmera e caderninho em punho.

Na última edição da São Paulo Fashion Week o Beto perdeu os últimos dias, porque embarcou de novo para a Alemanha e Itália, a trabalho. Me pediu um roteirinho de Milão e Berlim e cumpriu a promessa de enviar fotos e textos. Vou publicar as impressões das primeiras vitrines do verão, vistas agora em julho, pelo Beto Ramlow.









Dourado
O dourado apareceu muito em vitrines, outdoors e looks de pessoas que passavam por mim. Esta é uma tendência fortíssima, importante em detalhes e acessórios.
Fivelas, brincos, bolas, saias, blusas, estampas; tudo dourado, ou com aplicações em dourado.
É Ouro! Por toda parte, em Milão!
(Beto Ramlow)